Conhecer alguém novo

Aqui está uma lista de 200 Perguntas para conhecer alguém melhor em um encontro. Quer seja um colega de trabalho, um conhecido ou apenas alguém que você queira conhecer um pouco melhor; pode ser difícil fazer uma conexão com as pessoas. Não se preocupe, estou aqui para ajudar com mais de 200 perguntas para conhecer alguém. Perguntas… Frase sobre Conhecer Alguém. Mensagens, pensamentos e frases curtas sobre Conhecer Alguém. A frase que procura sobre Conhecer Alguém para ler e compartilhar. Como Conhecer Alguém na Internet. Interagir e se envolver com pessoas online rapidamente se tornou algo comum. Você pode estar procurando por um par romântico, um amigo com interesses em comum ou uma aproximação com um conhecido distante,... Algumas pessoas não têm problemas para conhecer outras. Você pode até ter um amigo assim. Dez minutos com alguém novo, e eles estão conversando como se se conhecessem há anos. Mas nem todo mundo tem um tempo tão fácil de se conectar com novas pessoas. Conhecer Alguém. Compartilhar. Cerca de 2099 frases e pensamentos: Conhecer Alguém. Quanto menos se conhece alguém, mais corremos o risco de construir a sua imagem de maneira distorcida, aumentando-a ou diminuindo-a. ... Mas um dia você conhece alguém que te faz chorar e segundos depois volta pra te fazer sorrir de novo. Desconhecido. 2 ... Eu nunca Jogue As melhores perguntas para conhecer alguém Mais de 250 perguntas para conhecer alguém. Todos sabemos que conhecer alguém pode ser difícil. E este artigo irá ajudá-lo: Reunimos mais de 250 ótimas perguntas para pedir a um garoto, uma garota ou seus amigos para iniciar uma conversa significativa! Eu sempre coloquei a química acima de tudo, quando conhecia alguém. É possível conhecer alguém pela primeira vez e simplesmente se encaixar? Na verdade, com ele não foi apenas um encaixe, foi mais como se os sinos da igreja estivessem batendo violentamente. Era ensurdecedor, em de uma boa maneira, mas aterrorizante ao mesmo tempo. Eu sempre me faço essas perguntas quando encontro ... Não importa se você utilizou metade de um pacote com alguém, ao conhecer alguém novo é preciso recomeçar de pitada em pitada (essa é a hora que vem o bode e as pessoas desistem de tentar de ...

U wot m8? Estórias de um gajo que se mudou para o UK [Capítulo 1: Mudanças e chegadas]

2020.09.20 14:53 UninformedImmigrant U wot m8? Estórias de um gajo que se mudou para o UK [Capítulo 1: Mudanças e chegadas]

Olá amigos. No post anterior introduzi levemente o espírito desta série, e este é o primeiro capítulo "a sério" da série. Este capítulo versa sobre o processo de preparação para a mudança e o "primeiro embate" da chegada ao novo país; que assuntos tive que tratar imediatamente antes de me mudar, assim como assim que cheguei. Como tenho dito, esta experiência é pessoal, e é importante que entendam que não se aplicará certamente a todos. Riam-se, chorem, e deixem os vossos pensamentos na caixinha em baixo.
Ao longo do texto vão ver uns números entre parênteses rectos ([XXXX]). Isto são referências que estão por extenso perto do fim do post, na secção apropriadamente denominada "Referências".

Take-Aways Principais

Eu gosto de ter uns bullet points com as ideias principais que se devem reter de cada capítulo, uma espécie de "se não leres mais nada, lê isto" do capítulo. Os deste capítulo rezam assim:
Os detalhes estão no texto por aí abaixo.

A odisseia do trabalho científico em Portugal

Já alguma vez tiveram aquele sonho em que querem gritar e não conseguem? Aquela sensação quase infantil de impotência, do pavor da inacção e do pasmo em relação ao que quer que seja que se está a desenrolar à nossa frente? Ou aquele em que querem esmurrar alguém mas não acontece nada? A sensação de impotência é, pessoalmente, das piores que podemos ter; a de querermos fazer alguma coisa, acharmos que sabemos o que fazer e não conseguirmos.
Trabalhar no tecido académico e de micro-empresas português (vulgo technology transfer) é um bocadinho assim. Por mais que um gajo se esforce, é muito difícil escapar à subsidio-dependência, à chico-espertice, à mediocridade, à inexperiência, à falta de processo e, acima de tudo, à falta de recursos. Por bom que seja o sonho, por interessante que seja o projecto, por positivo que seja o ambiente de trabalho, por porreiros que sejam os colegas, há uma sensação latente de "isto não vai dar para construir uma carreira". Isto torna-se particularmente agudo quando se trabalha numa área de tecnologia de ponta, para a qual inevitavelmente o mercado português está pouco desenvolvido. Não havendo mercado, a empresa vira papa-projectos e passa a viver de fundos comunitários, QRENs, COMPETEs, H2020s e coisas que tal. O tempo que se devia gastar em desenvolvimento é gasto a tentar convencer revisores de projectos a darem-nos mais uma esmola, e todos os projectos são uma corrida ao fundo: como é que conseguimos fazer esta omelete bonita com muito poucos ovos? Será que precisamos mesmo de duas pessoas para fazer isto, não dará só uma? Certamente o equipamento X também dá para este projecto.
Um aspecto particularmente doloroso neste ambiente é a altíssima rotatividade dos colegas. Quando se trabalha nestas condições tende-se a depender de recursos precários: bolseiros de investigação, estágios IEFP, estágios profissionais, estágios académicos, e por aí fora. Isto torna imediatamente impossível treinar alguém para fazer alguma coisa de jeito, e dei por mim a ensinar 3 ou 4 pessoas a fazer a mesma coisa em ocasiões diferentes ao longo dos anos. Nunca ninguém fica e toda a gente parte para outra, seja porque a empresa não lhes pode pagar, ou porque são incompetentes demais para nos darmos ao trabalho de lhes tentar arranjar financiamento. As caras e os nomes confundem-se numa espécie de groundhog day tecnológico em que cada ano que passa temos as mesmas conversas. Um tipo que vá ficando, ora porque é bom ou porque é teimoso, vai dando por si a avançar na idade ao mesmo tempo que os colegas não. A certo ponto, todos os meus colegas eram pelo menos uns 4 ou 5 anos mais novos que eu; ora se até eu quase nem tinha barba (hipérbole), então eles estavam mais verdes que as bananas da Costa Rica quando chegam ao Continente.
Quando me perguntam porque é que os portugueses têm tendência a se dar bem lá fora, aponto-os sempre para as condições em que somos habituados a fazer trabalho world-class. As publicações a que submetemos artigos não querem saber das nossas dificuldades; querem papers de qualidade. As agências de financiamento não querem saber de rotatividade, querem saber de know-how, track record e orçamentos. O trabalho que temos que entregar para sobreviver tem que ser de topo, ao mesmo tempo que as condições são de fundo. Pega-se num tipo habituado a isto, senta-lo numa cadeira de 300€, dá-se-lhe 3 monitores e um portátil que dava para comprar um carro, e é natural que o desempenho seja incrível.
Eu não me considero um perfeccionista (e acho que quem se considera perfeccionista pensa demais de si próprio) mas procuro estar numa constante curva ascendente no que toca à qualidade do meu trabalho. Umas vezes a curva é mais inclinada, outras vezes é menos inclinada, mas a cada dia estar um bocadinho melhor que no dia anterior. Aliás, quem me conhece sabe que esse é um traço que aplico em quase tudo: no trabalho, na vida, no desporto, etc. Antes de me mudar sentia que tinha batido no tecto da qualidade do que podia entregar. O meu esforço era máximo e o factor limitador da qualidade da entrega era a forma como o trabalho que eu tinha para fazer era entregue. Não havia tempo suficiente para inovação, era preciso planear de forma irrealista (e entregar de forma irrealista) para se conseguir fazer o malabarismo de todos os projectos. A constante mudança de contexto comia horas todos os dias.
A ética de trabalho portuguesa é, geralmente, horrível. Se eu trabalhei as minhas 8h, entreguei o que tinha para entregar e não tenho horário de trabalho, então vou sair às 16h. Ou chegar às 10h. Geralmente, fazer menos que 9-19 é mal visto, e eu fui sempre muito vocal (se calhar de forma prejudicial para mim próprio) acerca do quão estúpido isso me parece. Cheguei a ouvir algo semelhante a "tu és daqueles gajos que vão de férias desaparecem do mapa". Não é esse o objectivo das férias?

Um dia destes decidi mudar-me para o UK

Então um dia desatei a mandar CVs por esse mundo fora, a ver o que colava. Inevitavelmente, apareceram-me várias ofertas interessantes, a melhor das quais no UK. Contas feitas, a oferta praticamente multiplicou o meu salário bruto por 5 (talvez um bocadinho mais), empurrando-me de um salário mediano em Portugal para um salário bastante acima da média no UK. Esta é daquelas particularidades a que me refiro quando digo que a minha experiência é extremamente pessoal: eu tive a sorte de gostar e ter talento para trabalhar nesta área, e a dupla sorte de ser uma área em que simultaneamente há muita oferta e pouca procura de trabalho. Meio ao calhas cultivei um skillset muito valioso, ou que consegui vender bem. Infelizmente, para manter esta conta dissociada da minha identidade não vos posso especificar qual é; somos poucos, tornava-se muito fácil encontrar-me pelas publicações.
Curiosamente, está agora (à data da escrita) a fazer um ano que me decidi mudar. Nessa altura, a maior preocupação de quem se mudava para o UK era o Brexit, mas houve uma série de factores que me acalmaram:
Acerca deste último: ser estrangeiro no UK ou ser em qualquer outra parte é, para mim, semelhante. Então, se o Brexit por alguma razão resultasse numa perseguição aos estrangeiros, ou numa forte desvalorização da libra, etc, a minha situação ainda assim seria melhor que antes. Teria um CV mais rico, experiência adicional na indústria, e dinheiro no banco, tudo factores que facilitariam a mudança para um país terceiro.
Portanto com os factores políticos resolvidos por ora, e com a família a apoiar, lá me decidi.
Lá vim eu.

Preparação

A preparação para a mudança dividiu-se em:
Para benefício máximo meu e das duas empresas envolvidas, decidi reservar apenas umas 3 semanas sem trabalhar para tratar de tudo. Arrependi-me profundamente: devia ter fodido uma das empresas (a velha, potencialmente) e tido mais tempo para mim e para os meus. Naturalmente, houve muito que pude fazer enquanto trabalhava, como tratar da documentação. A logística foi um pesadelo; tive que esvaziar o apartamento em 2 dias e encontrar forma de arrumar tudo o que tinha na minha casa de família. Uma boa parte ficou por fazer pois queria passar tempo com a família em vez de arrumar merda. Tive que denunciar o contrato de arrendamento, da energia, da água e das telecomunicações. Obviamente, a Vodafone foi a mais merdosa no meio disto tudo, primeiro porque queriam que pagasse a fidelização (tive que demonstrar que vinha para o estrangeiro), e depois porque queriam cobrar o equipamento apesar de o ter entregue a horas e em boas condições. Típica escumalhice de telecom portuguesa, nada de novo.
A preparação legal foi mais cuidada. Para referência, a documentação que preparei foi:
Também nomeei (por procuração) um representante legal em Portugal. Inicialmente pareceu-me overkill, e apenas o recomendaria se tiverem alguém que seja de muita, muita confiança. Mas para mim tem sido muito útil, pois essa pessoa pode-me substituir em qualquer todos os compromissos, requerer a emissão de documentação em meu nome, transaccionar os meus bens (tipo vender o carro velho) e negociar em meu nome com as telecoms quando se armam em parvas (ver Vodafone acima). A pessoa que ficou com esta responsabilidade é da minha absoluta confiança, mas mesmo assim é um compromisso que deve ser mantido debaixo de olho e apenas pelo tempo necessário.
Às tantas perguntei-me "sua besta, já pensaste em quanto dinheiro vais gastar?" Bom, através de uma combinação de salário baixo e escolhas financeiras pouco saudáveis (que reconheço mas não quero detalhar), as minhas poupanças resumiam-se a uns míseros 2000€. Amigos, 2000€ não é dinheiro nenhum. Precisava de mais. Pelas minhas contas, e porque não vinha sozinho, precisaria de cerca de 15000€ para fazer isto com algum descanso, ainda que não conforto.
Lembram-se de quando tivemos uma crise "once in a lifetime" em 2008? Aquela da qual vamos ter saudades agora em 2021? Essa mesmo. Uma consequência engraçada dessa crise foi que as pessoas se habituaram a fazer crédito ao consumo, e os bancos habituaram-se a emprestar dinheiro como quem dá cá aquela palha, já que o Estado depois os resgata e ninguém vai preso. Como sempre trabalhei, paguei os meus impostos e nunca tive dívidas, pude pedir um crédito pessoal para pagar a mudança inicial. 15k no banco, check.
Obviamente não o gastei todo, e a empresa para onde fui trabalhar devolveu-me uma esmagadora parte do que gastei através de um fundo de "relocation expenses". A empresa pagou (mas eu tive que adiantar):
Em cima disso, paguei eu:
Admito que fiz algumas escolhas controversas, e houve muito dinheiro perdido em conversão de moeda. Podia ter ficado fora da cidade enquanto procurava apartamento, podia ter comprado mobília mais barata, podia ter dormido no chão, podia ter comprado malas mais baratas, podia ter andado de comboio em vez de alugar carros quando precisei. Mudei-me de uma forma que considero "medianamente confortável": não o fiz luxuosamente, mas dei-me ao luxo de trazer a Maria, de não ter que partilhar casa e de evitar largamente transportes públicos. Com o dinheiro que a empresa me devolveu constituí um fundo de emergência. Não liquidei logo a dívida porque entendo que é mais importante ter um fundo de emergência do que estar debt-free (mais sobre isso daqui a um post ou dois).
São escolhas. Emigrar é caro, amigos. Conheço quem o tenha feito com 200€ no bolso, mas não é confortável e não quero isso para mim.
Praticamente foi tudo pago através do Revolut. Criei uma conta pouco antes de vir, comprei o premium para não ter limites de conversões, e usei. Inclusivamente recebi lá o primeiro salário enquanto não criei a conta no banco.
A preparação emocional foi a menos complicada. O meu núcleo duro é relativamente pequeno, e toda a gente estava preparada há muito tempo para que eu "fugisse"; era conhecido praticamente desde que tinha começado o PhD que a minha área não era viável em Portugal, e que estava revoltado com a ética de trabalho merdosa. Naturalmente a minha mãe não gostou da ideia, mas são coisas da vida. Ainda assim, um conselho: não se armem em fortes e não descuidem a preparação psicológica/emocional que é necessária para este tipo de viagem. Eu sei que pessoas diferentes têm níveis de resiliência diferentes, mas o português tem muito a mania de achar que é o maior; cuidado com isso. Além disso, não deixem que estas preparações vos tomem todo o tempo que têm; guardem tempo para estar com a família, para lazer, e para descansar. Eu deixei-me consumir um pouco e não foi bom.

Como não ser sem-abrigo

Aterrei em meados de Setembro num dia nublado com duas malas de 30kg, uma mochila para mim e outra para a Maria, e a convicta certeza de que me estava a foder. Tinha cerca de 2.5 semanas até começar a trabalhar, e até lá a missão era só uma: encontrar um apartamento. Há muito para dizer acerca da habitação no UK, vou escrever um post só para isso e por isso aqui vou focar apenas na experiência do recém-chegado.
Eu decidi que não estava disposto a arrendar pelo privado; iria sempre através de uma agência imobiliária. Como não tinha tanta familiaridade com o mercado nem com a legislação, achei que seria mais seguro ir por essa via mais cara e minimizar a possibilidade de ser ludibriado. Recomendo vivamente. Então comecei a encetar contactos por telefone para marcar visitas a apartamentos.
E aí bateu-me.
Eu não conseguia perceber nada do que estes caralhos diziam ao telefone. NADA. "Ahka hrask apfiasdafsd duja sudn" diziam eles, e eu "sorry, I have a really bad connection, could you repeat that?" e eles lá repetiam mais calmamente "G'mornin, how can I help you today?". Muita vez disse eu que tinha pouca rede, a ver se eles abrandavam um bocadinho. E funciona! Top tip: se estiverem a tentar perceber o que eles dizem por telefone, queixem-se da ligação; o serviço móvel no UK é tão mau que eles vão na conversa.
Agora, eu sei falar inglês, ok? Naveguei perfeitamente bem as entrevistas, tenho dúzias de publicações em inglês "impecável", e trabalho em inglês há anos e anos. O problema é o seguinte: falar inglês enquanto se trabalha e escrever coisas em inglês são ambos experiências muito diferentes da de tentar falar com um nativo com sotaque, que assume maneirismos e expressões que não conhecemos, sobre locais que não conhecemos e dentro de um sistema (de arrendamento) que não conhecemos, tudo isto por telefone e sem poder ler nos lábios nem ler expressões corporais.
Com algum desenrascanço tipicamente português fui enchendo os dias de visitas a apartamentos na zona. Num dos dias aluguei um carro para ir ver apartamentos numa cidade vizinha (onde até acabei por ficar), algo que recomendo vivamente. Durante essas semanas vimos facilmente uns 25 apartamentos, talvez mais. As primeiras impressões foram:
(Um aparte acerca da alcatifa: se tiverem uma casa toda alcatifada comprem um robot aspirador de qualidade e aspirem todos os dias, até mais do que uma vez. A vossa qualidade de vida vai aumentar 1000 vezes.)
Escolhido o apartamento, fizemos uma oferta/candidatura. Oferecemos o valor que o senhorio pedia e, já tendo falado com muitos agentes, ofereci-me para pagar o contrato inteiro de 6 meses no dia da entrada. O que se seguiu foi um processo que, para mim, era completamente estrangeiro: o de "referencing" do potencial arrendatário. Pediram-me as moradas anteriores até 3 anos e os contactos dos senhorios, assim como a minha morada de família permanente e (muitos) dados pessoais. Essa informação foi usada para verificar que eu não era um impostor, e para verificar que tinha o hábito de pagar a renda. Ligaram para a minha antiga senhoria portuguesa, uma senhora de 82 anos, a perguntar se eu pagava a renda. Por mero acaso ela fala inglês (foi investigadora) e soube-lhes dar resposta, mas achei a atitude absolutamente desnecessária. Lembro-me de me sentir ofendido; "mas estes filhos da puta acham que pagar 6 meses à cabeça não chega?"
Seguiu-se um contrato de arrendamento para uma Assured Shorthold Tenancy [1], que é a modalidade "normal" de arrendamento para habitação por aqui. O agente imobiliário tratou de toda a papelada, mas eu tirei um dia para ler todo o contrato e verificar se batia certo com o que conhecia da lei daqui, o que recomendo vivamente. Atenção que a partir de meados de 2019 as taxas cobradas pelos agentes imobiliários passaram a ser limitadas por lei [2], por isso se vos pedirem alguma taxa administrativa mandem-nos sugar no pénis mais próximo. Na altura disseram-me que o normal, antes dessa mudança, seria o arrendatário pagar uma taxa de 700 libras à imobiliária pelo serviço. Era matá-los.
Assinado o contrato, ficou fixada uma data para entrada no apartamento. O valor a pagar é esperado nesta altura, no momento imediatamente precedente à entrega das chaves, o que significa que é preciso ter esse dinheiro disponível num cartão aceite pela imobiliária. Obviamente que é possível pagar por transferência, mas isso pode atrasar a data de entrada, e eu estava a pagar hotel por isso tinha interesse em me despachar.
Este processo foi, para mim, extremamente stressante. Até ao momento em que temos a chave na mão, o nível de incerteza é altíssimo: vou precisar de estender a estadia no hotel? Vou ter dinheiro que chegue caso o senhorio recuse o arrendamento? Será que vou ter que procurar noutra zona? Será que vou conseguir fazer isso enquanto trabalho? Para mim, encontrar a primeira casa foi facilmente a parte enervante da mudança. Agora já tenho uma posição muito mais sólida: conheço a zona, conheço o mercado, tenho um pé de meia e transporte próprio. O início custa muito mais.

Burocracias adicionais a tratar no início

Além da casa, que era a minha primeira preocupação, há um outro conjunto de coisas que têm que ser tratadas quanto antes:

Referências

[1] https://england.shelter.org.uk/housing_advice/private_renting/assured_shorthold_tenancies_with_private_landlords [2] https://www.gov.uk/government/collections/tenant-fees-act [3] https://www.gov.uk/council-tax [4] https://www.gov.uk/tax-codes [5] https://www.gov.uk/income-tax/how-you-pay-income-tax

Capítulos Anteriores

O próximo capítulo deve ser mais sobre habitação ou sobre compramanter carro e conduzir. Depende de qual o capítulo que acabar por ficar pronto mais cedo. Às tantas calha ser outro qualquer ¯\_(ツ)_/¯
Se este post gerar uma resposta tão forte como os outros, é possível que eu não consiga responder a todos os comments. Se for esse o caso, peço desculpa; vou dar o meu melhor.
No outro post alguém (um mod?) colocou o flair "Conteúdo Original". Não encontrei esse por isso pus "discussão".
Abraços, e obrigado por virem à minha TED talk.
submitted by UninformedImmigrant to portugal [link] [comments]


2020.09.20 12:53 Environmental-Ad4117 Sou um aluno universitário e criei um site onde você faz terapia online com psicólogos de todo o Brasil

Estou morando no Brasil mas percebi que muita gente que emigra sofre com saúde mental e tem dificuldade pra fazer terapia no novo país.
Se você precisa ou conhece alguém que precisa, eu criei uma plataforma onde você se consulta online com um profissional a sua escolha.
https://psymeet.com.b
submitted by Environmental-Ad4117 to foradecasa [link] [comments]


2020.09.19 21:37 niallwhore Meu ex namorado estragou tudo e esse foi o maior favor que ele já me fez!

Segura que lá vem o textão com meu relato e uma mensagenzinha motivacional pra quem ta sofrendo por quem não te merece. :}
Esse ano eu conheci um rapaz por quem me apaixonei muito. A gente namorou por 5 meses e tivemos um relacionamento extremamente abusivo: ele me acusava constantemente de traição, não queria passar os finais de semana comigo, me agredia verbalmente, era obcecado com instagram e vivia brigando comigo por coisas fúteis relacionadas a redes sociais, não deixava eu ter amigos, não me avisava com antecedência quando ele ia sair pra visitar a amiga dele, sempre brigava comigo, ficava bravo quando eu comprava coisas pra mim, colocava palavras na minha boca, não confiava em mim nunca, ficou do lado do cara que me abusou psicologica e fisicamente - ao invés de acreditar em mim, ele ficava jogando essa história na minha cara como se eu tivesse culpa, além de tudo ele tinha CIÚMES do cara que me abusou. Enfim, comi o pão que o diabo amassou.
Foram 5 meses levando porrada, até que um dia ele desistiu de mim e terminou comigo. A justificativa dele era que eu ficaria melhor sem ele - ao invés de tentar trabalhar as coisas que estavam ruins, ele decidiu fugir. Ele terminou comigo umas 10 vezes enquanto a gente namorava e depois voltava atrás, mas essa última vez eu fui forte, peguei as palavras dele, aceitei o término e não voltei atrás.
Lidar com esse término tem sido extremamente difícil, porque eu ainda o amo demais, eu sinto falta dele todos os dias. Porém, desde que ele terminou comigo eu me apeguei aos meus amigos que se importam comigo, me reaproximei dessas pessoas e aprendi a ser um bom amigo novamente e estar ali pra eles.
Perder o direito de ter amigos quando eu namorei me fez valorizar muito mais as minhas amizades. É muito ruim e assustador não ter ninguém.
Estou passando por maus bocados, mas eu fico muito feliz de ver que não estou sozinho, sabe? De ter meus amigos e minha mãe me apoiando e me fazendo sentir como uma pessoa boa novamente (porque quando eu namorava ele fazia acusações tão graves sobre mim que saí me sentindo o pior monstro do mundo).
É bom demais desabafar com as pessoas próximas e não ouvir como resposta um “fica tranquilo que vai dar tudo certo” ou não me culparem por estar me sentindo mal e brigarem comigo igual meu ex fazia.
Eu estou podendo jogar videogame de novo, e não fico mais triste de passar os domingos sozinho, porque afinal eu estou solteiro, e ta tudo bem. Além de tudo, todo o espaço vazio que o fim do relacionamento deixou, eu estou usando para desenvolver projetos pessoais e profissionais, inclusive tenho uma amiga que ta me apoiando e me inspirando muito a explorar cada vez mais os meus potenciais.
Meu ex se arrependeu muito de ter terminado comigo e deixou claro várias vezes que faria de tudo pra me recuperar. Ele me disse que mudou, que se voltássemos a namorar tudo seria diferente, etc. Por mais atrativo que isso fosse, porque eu ainda o amava (e ainda o amo), eu fui forte e sempre tentava lembrar de tudo que eu fui forçado a deixar de lado porque ele mandou. Sem contar que o fato de ele ter me culpabilizado e me feito lembrar tantas vezes do abuso que sofri foi algo que eu não consegui perdoar.
Enfim, as semanas foram passando e depois de tantos surtos, indiretas injustas sobre mim que ele ficava postando nas redes sociais, entre outras coisas como o fato de ele ter ido brigar com uma amiga minha porque ela deu unfollow nele no instagram e de ele ter seguido um conhecido meu e dado block nele em sequência, as coisas foram acalmando um pouco. Ele parecia realmente estar mudando, e obvio que isso mexeu com meu coraçãozin de gado.
Embora não tivesse sido o bastante pra eu voltar pra ele, foi algo que me fez não querer afastar e tirar ele da minha vida. Eu deixei uma janelinha aberta pra ele entrar, caso se comportasse. E depois de vários dias que a gente estava se dando bem, eu decidi que iria acompanhar ele em um exame que ele ia fazer e ele falou que queria que eu fosse junto.
Eu fui acompanhá-lo e na hora de ir embora, ele disse que queria voltar pra mim e tal. Então eu conversei com ele durante horas com a maior honestidade sobre tudo que eu tava sentindo, e eu concluí a conversa dizendo a ele que se eu realmente sou o amor da vida dele e se ele realmente estivesse mudando, o tempo eventualmente iria mostrar e a gente iria acabar ficando juntos se fosse para ser. Ele disse que estava disposto a deixar o tempo mostrar que ele estava falando a verdade, então embora a gente não tenha decidido se afastar de vez nem voltar, a possibilidade tava ali no ar caso ele quisesse agarrar.
A conversa foi na quarta-feira. Quinta-feira eu segui no instagram um amigo de longa data com quem eu havia perdido contato. Em um plot twist bizarro, meu ex uma duas horas depois desse follow veio querer tirar satisfação comigo referente a este amigo que eu segui. Sendo que a gente tinha conversado sobre como esse tipo de comportamento dele era nocivo um dia antes.
Mano, eu fiquei puto com ele e me permiti surtar e falar o quanto que ele foi invasivo e o quanto essa situação foi fodida. Eu fiquei tão irritado com o que ele fez que não queria mais falar com ele. Ele me ligou algumas vezes durante a madrugada e mandou inúmeras mensagens implorando pelo perdão. Mas eu precisava ficar sozinho pra processar tudo aquilo.
É, galera, quando a gente ta apaixonado a gente é trouxa o bastante pra se decepcionar com a pessoa mesmo ela ja tendo vacilado com você inúmeras vezes antes.
Beleza né, no dia seguinte descubro que ele seguiu outro amigo meu com quem não tenho mais contato no instagram (e meu ex morria de ciúmes desse menino, porque nós já fomos muito próximos como amigos e tinha algumas fotos com ele no meu instagram). Além de ele ter dado follow no menino, eles trocaram vários likes em fotos. Eu vi aquilo e decidi que iria retirar meu ex das minhas redes sociais, eu chorei muito muito mesmo, mas beleza.
Menos de uma hora depois meu ex começou a me ligar de novo e implorar pra eu conversar com ele, porque ele não iria aguentar me perder e que precisava de mim. Eu primeiro tive que mandar uma foto minha chorando pra ver se ele acordava pra vida de que ele foi longe demais e depois fui bem grosseiro ao pedir para ele me deixar quieto. Ele disse que iria me deixar quieto, mas implorou pra eu não sumir de vez e encerrou com um “te amo, até”.
Depois dessa conversa fui conversar com esse meu amigo que ele seguiu no instagram, e o meu amigo disse que tinha conversado com meu ex pra tirar essa história a limpo (pra ver se ele ainda tava namorando comigo e tals) e meu amigo falou que meu ex disse que já tínhamos terminado e ele não queria mais ter nada a ver comigo. Além disso, meu ex falou sobre mim com deboche pra ele, como se o relacionamento tivesse dado errado e acabado por minha culpa.
Bom, gente, eu tinha tudo pra ficar arrasado com isso tudo, porque uns minutos antes o menino tava implorando por mim enquanto ele dava em cima de alguém que eu conheço e já fez parte da minha vida. Ele me acusou de traição durante 5 meses, e quem se provou um grande mentiroso e um traidor do mais baixo nível foi ele. Ontem eu finalmente entendi que ele tentava constantemente me diminuir e dizer que eu sou péssima pessoa, porque na verdade era ele quem fazia tudo isso e ele só estava projetando essas coisas em mim.
No final das contas, embora eu esteja muito triste, eu estou muito grato por ele ter estragado tudo e ter mostrado quem ele realmente é. Imaginem que merda se eu tivesse acreditado nele e voltado pra ele? Fico imaginando quantos chifres que eu levei durante esse relacionamento e fico muito feliz que todo esse abuso acabou.
Eu não estou contente, mas eu estou extremamente satisfeito que estou aprendendo a viver minha vida sem ele e me recuperando de um monte de merdas que aconteceram na minha vida (até antes mesmo de eu ter conhecido ele) ao lado dos amigos que se importam comigo e da minha família. Estou extremamente carente, mas eu nunca vou me submeter a voltar com alguém que me traiu dessa forma e ter esse conhecimento é tudo de bom, é libertador saber que quem mais apontou pra mim é a pessoa que mais fez as cagadas que falava que eu fazia.
Tudo isso pra eu dizer, meus amigos, que tudo bem sofrer por amor. Sua vida vale muito mais que um relacionamento abusivo ou alguém que te ilude. Se você ta malzão ou malzona porque seu amor te maltrata, te humilha, trai ou mente pra você, aprenda a se amar em primeiro lugar porque você tem potencial de fazer coisas incríveis! Onde há vida, há potencial.
Se você ta se sentindo sozinho se apegue aos seus amigos, se não tem amigos se apegue a sua família. Vai conhecer gente nova, às vezes perder uma pessoa nos faz sentir que estamos perdendo o nosso mundo, mas nós ainda teremos um universo inteiro para explorar.
submitted by niallwhore to desabafos [link] [comments]


2020.09.18 14:34 UninformedImmigrant U wot m8? Estórias de um gajo que se mudou para o UK [Capítulo 0: Introdução]

Post anterior: https://www.reddit.com/portugal/comments/itrx1l/estou_a_pensar_escrever_uma_s%C3%A9rie_de_textos_sobre/
Olá amigos.
Perguntei-vos se estariam interessados numa série de posts acerca da minha experiência enquanto emigrante no UK. A resposta pareceu positiva, por isso vou começar a publicar o que vou escrevendo. Este primeiro post serve de introdução para ditar o mote dos restantes; aproveito para deixar aqui uma série de notas que depois escuso de repetir nos seguintes.

Que merda é esta?

Há-de ser um relato mais ou menos organizado da minha vivência como emigrante, escritos de forma predominantemente episódica. Cada capítulo pretenderá abordar um tema diferente que, na minha opinião, poderá afectar outras pessoas na mesma situação que eu. Basicamente, cada capítulo relatará grosso modo uma situação que me fez pensar "puta que pariu, porque é que não me disseram isto antes?"
Mais concretamente, quero:
Antes de começarmos, algumas coisas importantes de referir:

O que é que vem a seguir?

Este post é uma introdução muito básica ao "projecto" que estou a começar. Neste momento tenho esta introdução escrita, e mais alguns capítulos pensados e alinhavados. Para já, tenho alguns temas principais acerca dos quais gostaria de (ou comecei a) escrever:
Não os vou escrever por ordem, garantidamente. Sintam-se à vontade para sugerir tópicos, já acrescentei um ou outro de comments no outro post. Vou tentar manter os posts ligados uns com os outros com um índice ali no topo.

Quem és tu, e porque é que hei-de querer saber disto?

Por razão nenhuma. Lê este; se gostares, provavelmente vais gostar do resto. Se achaste que é só um gajo a dissertar sobre temas da vida, então acertaste na mouche. Se não gostas de gajos a dissertar sobre temas da vida, talvez não gostes disto.
Eu sou um gajo qualquer, suspeito que parecido com muitos vós: casa dos 30, carreira em tecnologia, mania que é esperto, emigrado recente. Acho que a minha experiência enquanto emigrante é deprimentemente mediana, e é aí que vejo o valor deste esforço. Entre decidir que queria vir e o dia de hoje, passei por uma série de situações que suspeito que muitos outros também atravessaram, e para as quais gostaria de ter tido aviso. Alguns exemplos de que me lembro de repente:
Eu também não sabia de nenhuma destas (e outras coisas), e às vezes saiu-me do bolso não saber disso.
A minha experiência provavelmente foge da média em alguns aspectos cruciais: não vivo nem trabalho numa cidade, vim já com um contrato de trabalho permanente assinado, e por aí fora. Escrever sobre alguns desses aspectos talvez passe a ser mais um exercício de memória pessoal que outra coisa, ou talvez as minhas peripécias pessoas ressoem com alguém, logo vemos.

Motivação

Um bocadinho do que está por trás das razões que me trouxeram para aqui:

Porquê NÃO emigrar?

Quando fui entrevistado para a posição em que estou agora, o entrevistador final (depois de umas 5 entrevistas para a mesma posição) perguntou-me: "estás nessa empresa há coisa de um ano, porque é que te queres mudar?". A minha resposta foi simples: não quero.
Em Portugal a vida tem uma leveza que não consigo encontrar em mais lado nenhum. Ganha-se pouco, é certo, e as oportunidades são muito limitadas, mas:
e por aí fora. A minha vida em Portugal era de uma tranquilidade incrível. O trabalho era especializado e pouco exigente, trabalhava com amigos de longa data na minha área de formação (que adoro). A minha rotina estava extremamente solidificada, vivia numa cidade que adoro (ah Coimbra!), conseguia-me facilmente sustentar, vivia numa casa boa numa zona boa. Visto de fora, tudo estava OK. A opção fácil teria sido deixar-me ficar; tinha facilmente emprego para a vida e poucas chatices.
Ainda assim...

Porquê emigrar?

Há uma certa insatisfação que vem com o saber que chegaste ao topo muito cedo, e que o topo não é tão alto como querias. Eu sou extremamente ambicioso, não do ponto de vista materialista e egoísta, mas mais numa eterna ânsia de ser melhor no que faço. Eu tive a espectacular sorte de escolher uma profissão pela qual me apaixonei, e de ter conseguido sempre trabalhar nela estes anos todos. O meu trabalho foi aparentemente tendo qualidade, e fui indo por aí acima. Um mestrado vira doutoramento, que vira bolsas, que vira escrita de projectos, que vira posições em empresas, que vira posições séniores.
No entanto, há um tecto máximo para o que se pode fazer em Portugal na minha área: o mercado é dominado por empresas muito pequeninas, altamente subsidiodependentes, e nas quais honestamente não vejo futuro. Eu não quero passar o resto da minha vida profissional a trabalhar num "one-man army", eternamente a desenvolver soluções que nunca vão vingar porque, convenhamos, há limites para o que uma equipa pequena consegue fazer. É extremamente descolhoante ver o nosso trabalho, que toda a gente diz que é muito bom, ficar perpetuamente atrás por falta de recursos, ou manpower, ou investimento, ou o que lhe quisermos chamar. Dei por mim a tornar-me uma pessoa frustrada, daquelas que vêm as notícias e dizem mal de tudo, mesmo do bom; pequenino e sempre zangado. Decidi procurar outras coisas.
Mudei-me para o UK com contrato assinado para uma multinacional gigantesca, bom salário, boa zona do país e, acima de tudo, projectos incríveis desenvolvidos por pessoas com as quais tenho aprendido muito. Estou novamente no caminho certo.
Eu não me mudei pelo clássico "ganhar mais". Obviamente que triplicar o salário de um dia para o outro é fixe, obviamente que é fixe comprar carros a pronto (mais sobre isso mais tarde), obviamente que ir às compras e nem olhar para a conta é bom; mas há mais que mova um gajo. O salário é um factor, mas é um factor.
Abraços, e obrigado por virem à minha TED talk.
Edit: desculpem a formatação manhosa no início, esqueci-me do modo markdown.
submitted by UninformedImmigrant to portugal [link] [comments]


2020.09.17 00:49 Sissigny eu ainda não acredito que isso aconteceu

oi gente. eu vim aqui falar sobre uma coisa que me aterrorizou muito, e no momento, não tenho com quem falar a respeito, mesmo namorando e tendo alguns amigos. a questão é que não é algo tão simples assim, e sinceramente, me sinto enojada só de pensar... tenho medo da reação do meu namorado e dos meus amigos, então achei melhor vir falar aqui, onde ninguém sabe quem sou nem conhece a pessoa envolvida na história. tô escrevendo esse parágrafo pra também servir como alerta de gatilho, então se você fica mal lendo alguma coisa relacionada a abuso sexual, por favor, não leia o meu post. se quiserem que eu apague posteriormente, só me avisar que apago o mais rápido possível.
na madrugada dessa segunda-feira, por volta das 01h30 da manhã, eu ouço uns barulhos na minha porta, como se algo suave estivesse roçando na madeira (pra servir de contexto, eu já estava deitada, as luzes do meu quarto estavam apagadas e a porta trancada na chave). tenho 4 gatos e um deles tem o costume de dormir na minha cama, então mesmo sabendo que ele ia me acordar mais tarde pra que eu pudesse abrir a porta pra ele, acabei me levantando. fui destrancar a porta e quando abri, em vez de ver o meu gato, vejo o meu pai dando meia volta e indo embora. eu levei o meu celular junto comigo e a lanterna estava ligada, e ele, sabendo que não tinha mais escapatória, falou pra mim: "desculpa filha, o pai se confundiu aqui..." e começou a fugir do assunto. ele falou mais algumas coisas, e eu só acenei com a cabeça e me tranquei de novo. (mais contexto: meu quarto fica em frente à varanda daqui de casa, que é conjugada ao quarto do meu pai. arquitetura bugada? sim, com certeza, mas espero que tenha dado pra entender)
meu pai tem seus 70 anos e já se mostrou com uma sanidade meio questionável, mas nada que servisse como desculpa por que ele tentou fazer... mesmo ele não tendo conseguido fazer nada comigo, eu me senti horrível. nem estava com tanto sono na hora, mas me forcei a dormir pra tentar esquecer o que tinha acontecido. eu simplesmente não conseguia acreditar que o meu próprio pai estava mexendo na minha porta daquela forma... gente... eu não sei nem o que dizer, nem o que pensar. eu não consigo nem chorar porque o choque ainda não passou, e eu só quero ficar longe, longe, longe dele.
pode ser que alguém pense que ele tenha realmente se confundido ou usou a porta como apoio pra andar (tendo em vista a idade dele), e eu venho aqui dizer que isso é impossível. vou listar aqui um dos motivos:
  1. eu já o peguei olhando pra mim de maneiras que um pai não deve olhar para a sua própria filha, SANGUE DO SEU SANGUE.
  2. não faz nem sentido ele se confundir, e eu vou demonstrar isso só pelo desenho que fiz da planta daqui de casa. reparem no degrau e em tudo... (https://imgur.com/a/ofsSvjF)
  3. uma tia paterna já contou que meu pai estuprou minha prima (filha desta tia) quando ela era pequena. além desse relato, tem o de uma antiga vizinha que dizia que meu pai a assediava fazendo comentários e mandando cartas com esse mesmo teor. eu não duvido de nenhuma delas.
contei tudo isso para minha mãe e ela já trocou de quartos com ele. (minha mãe está se planejando para pedir um divórcio, e ambos não dormem juntos há mais de 3 anos. ela ficava no cômodo que aparece como cinza na imagem que anexei). sinceramente, me sinto mais segura, mas mesmo assim... eu só queria ter uma família normal, saudável, com um pai de verdade, que me protegesse, e não esse monstro...
enfim, se você leu até aqui, muito obrigada. eu só precisava tirar isso do meu peito um pouco...
submitted by Sissigny to desabafos [link] [comments]


2020.09.16 03:26 DoWidzenya Hoje uma garota cruzou o olhar comigo e sla, isso aumentou minha autoestima

Pelo titulo, parece bobo, eu sei, até por isso eu só to postando isso só aqui.
Mas enfim, eu não sou muito de sair de casa, sou bem na minha, e sou bem tímido até. Embora tenha dias e contextos que eu sou mais extrovertido.
Só pra vcs entenderem um pouco melhor, Eu tenho 17 anos, por volta de 1,75, sou moreno, uso óculos, e tenho um corpo médio, nem muito magro nem muito gordo. Eu não me considero feio, mas eu tbm não me considero bonito, eu sou na média eu acho, mas sla, eu acho que eu não penso tanto na minha aparência num geral.
Mds eu saio muito do assunto
O que aconteceu é, hoje eu fui pra academia, to fazendo academia faz umas três semanas, mais por saúde mesmo. Não é tempo o suficiente pra fazer alguma mudança então isso não interfere tanto na historia. Minha irmã (dois anos mais nova) tá indo comigo inclusive.
Enfim, lá estava eu, perdido como sempre, pq eu tenho uma memoria horrível e nunca lembro os exercícios, conversei com o professor, e fui fazer meu exercício. Eu nunca sei pra onde olhar enquanto to fazendo o exercício e eu tbm acho estranho ficar se olhando no espelho da academia então sla, eu fiquei passando o olhar de equipamento pra equipamento só observando as coisas. Nisso eu reparei que uma garota do outro lado da academia tava olhando pra mim, ela é bem bonita (parecia nova lá tbm inclusive, pq ela parecia estar um pouco perdida) na mesma hora ela desviou o olhar logo depois que eu desviei tbm. E isso aconteceu algumas vezes, umas 3, por aí (não que eu quisesse, eu não sei como agir quando acontece contato visual, é só que aconteceu)
A menina tava com uma amiga dela tbm
Depois disso, eu subi pro andar de cima, fui fazer outras coisas, e desci depois pra encher a garrafa de água. De novo, a gente se olhou, desviou o olhar, e seguiu assim.
Minha irmã conhece as meninas parece, elas conversaram um pouco hora que eu não tava lá, e hora que a gente tava indo embora, eu saí primeiro, depois as duas meninas, depois a minha irmã. Nesse meio tempo que eu tava esperando ela, eu e amenina paramos frente a frente e ela parecia que ia falar aluma coisa. Sendo o idiota que eu sou eu olhei pra outro canto por pura vergonha e minha irmã saiu bem na hora, aí eu puxei ela, aí a garota falou tchau pra ela, e a gente foi embora.
Eu. não. sei. lidar. pqp
Depois eu parei pra pensar um pouco e sla, isso me deu um pouco mais de confiança na minha aparência eu acho.Até porque eu não interajo com muita gente, numa festa ou coisa assim eu geralmente sou a pessoa que curte mais observar os outros conversando que entrar na conversa. Mas meu problema é mais começar uma conversa que conversar.
Resumo pra quem não leu tudo: Uma garota e eu trocamos olhares varias vezes hoje, eu não tive coragem de conversar, mas isso me ajudou um pouco a entender que alguém pode ter interesse por mim sem ser pela personalidade.
submitted by DoWidzenya to desabafos [link] [comments]


2020.09.15 19:03 mking_sparky quero jogar rpg e fazer novas amizades :)

olá!! meu nome é mking, sempre gostei de como funcionava um rpg e como era criado as histórias! ja tentei jogar quando eu era pequeno(mas eu fiz isso sem saber como funciona), mas depois de um tempo eu parei de ver como funciona :(, mas com o sucesso que foi o rpg do cellbit, me deu um gatilho de querer jogar e conhecer pessoas novas e aprender a jogar :), então se alguém ta em busca de player pode me convidar!! gostaria de conhecer pessoas novas e interagir :). ps: tenho 16 anos, mas quero muito jogar!! ps2: sou muito novo nisso, então por favor se eu fizer algo de errado me desculpe! sou bem lerdo mas de acordo com o tempo eu vou aprender :) ps3: OBRIGADO POR LER E DESCULPA SE TEM ALGUM ERRADO GRAMATICAL!! meu discord: Mking#2636
submitted by mking_sparky to rpg_brasil [link] [comments]


2020.09.15 01:46 211100mmm para aqueles que se criticam muito e precisam de um pouco de paz...espero que possa te ajudar pelo menos 1%

Como lutar contra seu crítico interno

Quase todos nós temos um personagem dentro de nossas mentes que podemos chamar de crítico interno. Ele tende a fazer suas visitas tarde da noite, espera até que estejamos muito cansados ​​ou fisicamente esgotados - e então começa a sussurrar coisas cruéis e terríveis para nós a fim de destruir todas as possibilidades de paz, autoconfiança e autoconfiança compaixão. Está basicamente convencido de que não deveríamos realmente existir - e é extremamente sutil e inventivo em nos dizer o porquê. É, in extremis, o crítico interno que diz às pessoas para irem e se matarem.
Muitas vezes, em face de mais um ataque do crítico interno, nossas mentes congelam: simplesmente não sabemos como responder. Estamos em um túnel sozinhos com o crítico e esquecemos que pode haver qualquer outra perspectiva a ser aplicada em nossa situação. Deixamo-nos ser atacados por acusações impiedosas - e afundamos na autoflagelação e no desespero.

Devemos - quando nossas mentes ficarem claras - preparar uma ou duas coisas que possamos dizer ao crítico quando ele vier chamar, com a adaga ou serra elétrica na mão. Aqui estão algumas sugestões:
Crítico interno: Você é um perdedor total.
Nunca há uma história de vida; a diferença entre esperança e desespero está em uma maneira diferente de contar histórias contrastantes a partir do mesmo conjunto de fatos. Claro que você pode interpretar tudo como uma tragédia; claro que há material suficiente para um suicídio. Mas vamos tentar outro caminho. Esta é outra maneira de contar a história de sua vida: 'Contra todas as probabilidades, você tentou viver decentemente; você cometeu alguns erros graves, como todos os humanos farão, e pagou um preço muito alto por eles. De muitas maneiras, você sofreu muito mais do que merecia. Você passou pelo inferno. Mesmo assim, você tentou ser bom e amou algumas pessoas de maneira adequada e tentou continuar. ' Em sua lápide, pode dizer: 'Tentei muito.' Ou 'Apesar de tudo, o coração estava no lugar certo'. E essa seria uma história igualmente válida e muito mais gentil.
Você é nojento; você não merece compaixão
A essa altura, podemos nos perguntar de onde vem esse crítico interno. Só há uma resposta: um crítico interno sempre foi um crítico externo que foi internalizado. Você está falando consigo mesmo como outra pessoa uma vez falou com você - ou uma vez o fez sentir. Afaste-se desse lunático cruel e louco - e questione o que eles estão fazendo em sua mente. É realmente uma maneira de falar com alguém? Você fica feliz em reconhecer suas falhas, todas elas, cada uma delas; você está feliz em pedir desculpas e expiar e fazer grandes reparações e aceitar o que você tem vindo para você, mas isso? Alguém merece isso ? Este crítico só quer que você morra - e eles não têm o direito de andar desimpedidos, com a marreta na mão, nas salas de sua mente.
Todo mundo sabe como viver longe de você.
Outra sugestão caracteristicamente angustiante. Mas não sabemos. Só conhecemos as pessoas de fora, pelo que decidem nos dizer e, naturalmente, escondem todas as partes ruins que conhecemos em nós. Quase certamente, outros estão ficando loucos, outros estão devastados pela culpa e pelo medo. Naturalmente, algumas pessoas parecem ter vidas perfeitas - mas isso só porque você não as conhece bem o suficiente. Ninguém é normal ou muito feliz de perto. A vida é uma luta para todos. Pare de comparar o que você sabe sobre o seu eu profundo com os painéis publicitários que outras pessoas colocam sobre suas vidas.
Você cometeu erros imperdoáveis
Aquele de novo. Não adianta negar. A melhor defesa é a retirada: claro! Claro que você cometeu alguns erros terríveis e até catastróficos! Claro que você foi um idiota! Mas você pode tirar um momento para lembrar sua infância, para convocar o que você passou, o pano de fundo de onde você veio. Que chance você tinha de ser, pelo menos parcialmente são? É incrível que você consiga se levantar e dizer seu próprio nome. Não fazemos pessoas perfeitas por aqui. Esta é uma clínica para deficientes. Pare de se torturar com a ideia de que algum dia você poderia ter sido perfeito; fique surpreso por você existir.
Nunca vai ficar melhor.
A verdade é: você não sabe. Ninguém conhece o futuro. As coisas mais estranhas e terríveis aconteceram de repente; e as coisas mais estranhas e adoráveis ​​também podem acontecer de repente. O desespero presume que você conhece o resto da história. Continue.
O desastre está a caminho; uma catástrofe está chegando.
O crítico interno adora estimular o terror; ele insiste que algo terrível está para acontecer. Você deve derrotar este crítico sádico em seu próprio jogo. Pare de esperar que as coisas sejam divertidas e depois se permita ter medo de desastres. Antecipe o ataque. Sim, pode haver problemas, mas no final, e daí. Eles podem ser tratados. A vida pode continuar mesmo a um ritmo muito reduzido. As pessoas conseguiram continuar com apenas uma perna, ou no exílio, ou com um amigo ou uma ninharia. Isso pode ser tratado.
Ninguém te ama ou poderia te amar.
Esse parece especialmente tentador, principalmente por volta das três da manhã. Mas isso não pode ser verdade. Você sofreu, é honesto e pode ser gentil. Isso é o suficiente para alguém ficar com você. A maioria dos humanos ama vencedores, mas você não precisa da "maioria" dos humanos. Concentre-se no subconjunto pequeno com corações muito grandes. Seja honesto com eles sobre sua dor; eles encontrarão o caminho até você.
Voce é tão feio
Sim, possivelmente, mas muitas pessoas também são e quando você as ama, você começa a ver sua alma e a amar seu caráter nelas. Provavelmente, há muito tempo você não pensa na aparência da maioria das pessoas que ama profundamente.
Onde você vai estar daqui a cinco anos?
Nesse ponto, quem se importa? Corte a vida em incrementos muito menores. Veja se consegue chegar à próxima refeição e a um bom banho, e isso já seria uma conquista suficiente. Reduza a ambição como uma pré-condição para a sobrevivência. Considere como um triunfo se nada de absolutamente terrível acontecer na próxima hora. Comemore os próximos dez minutos pacíficos.
Você quer morrer, não é - e provavelmente deveria.
Absolutamente não. Você só está achando difícil viver, mas quer viver muito. Você quer encontrar uma maneira de ser um ser humano decente e continuar. E você vai.
Nesse ponto, o crítico interno pode sair furioso por ter sido resistido e por algumas horas nos deixar em paz. Nesse ínterim, devemos lembrar como era ter cinco anos e ser cuidado com ternura por alguém que acariciava nossos cabelos e tinha um apelido gentil para nós. As coisas ficaram mais difíceis para nós desde então, mas o que merecemos não mudou: todos nós ainda somos crianças pequenas, dignas de perdão e precisando de muita folga. Estamos nos arrastando e tentando fazer o nosso melhor nas circunstâncias.
-SchoolOfLife
para mais textos assim:
https://www.theschooloflife.
espero que tenha gostado, boa sorte!!!e relaxe!!
Paz.
submitted by 211100mmm to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 10:17 observerpt Comprar casa em Torres Vedras e trabalhar em Lisboa

Com o aumento dos preços do imobiliário em Lisboa e Subúrbios mais próximos, eu e a minha namorada temos considerado como hipótese ir para Torres Vedras. Actualmente estamos em Mafra, portanto este tipo de commuting não é novo para nós. A principal razão de estarmos a considerar Torres, para além dos preços bastante mais razoáveis, é o facto de lá termos os pais dela que depois nos poderão ajudar com os filhos.
Gostava de saber se alguém fez uma escolha semelhante ou conhece quem tenha feito esta escolha. Que testemunho têm?
submitted by observerpt to portugal [link] [comments]


2020.09.14 04:58 altovaliriano Stannis Baratheon (Parte 8)

No mesmo dia em que a notícia da morte de Joffrey chega a Pedra do Dragão, Davos tira Edric Storm da ilha. Ao saber da notícia, Stannis fica abalado com a traição de sua Mão. Ele havia mantido Davos nas celas por ter ameaçado a vida de Melisandre. Naquela ocasião, a mulher vermelha vira nas chamas a ameça e lhe contou. Agora, porém, ela nem mesmo previu. Davos o traiu por debaixo do nariz até mesmo de R’hllor.
O Rei se sente cansado da sucessão de Mãos traidoras. Alester Florent quase fez um acordo de rendição com os Lannister e entregou Shireen para se casar com o abominável bastardo Tommen. O cavaleiro das cebolas o privou da única ferramenta que poderia encerrar a guerra, unir o reino e trazer dragões de volta a vida. Stannis sabe que a pena para traição é a morte, por isso mesmo ele desembainha luminífera para oferecer a Davos um pouco mais da mesma justiça que o fez perder seus dedos.
Ajoelhado, Davos então pede para ler algo, que nem Stannis ou Melisandre sabem ser a carta de meistre Aemon pedindo ajuda. Stannis concede, com os músculos do pescoço projetando-se “como cordões” de tanta raiva. O resto dos acontecimentos, não ficamos sabendo. Dez capítulos depois, Stannis está na Muralha e presumimos que as tensões em Pedra do Dragão acabaram e todo mundo se perdoou.
Mas, obviamente, não foi isso que aconteceu. A viagem de Stannis é cercada de nuances inusitadas e inescrutáveis.
Como Davos convenceu Stannis a ajudar a Patrulha?
Para muitos esta pergunta deve parecer um pouco ridícula. Parece óbvio que Stannis, após ter tido a visão com “um anel de archotes, [...] um monte alto qualquer numa floresta [...] homens de negro atrás dos archotes, e [...] silhuetas em movimento através da neve”, ele entenderia que estava olhando para a Patrulha da Noite, certo?
Talvez, mas é necessário entender que a luta de Azor Ahai não era contra os selvagens, mas sim contra um inimigo feito de escuridão, frio e morte. A visão que Stannis teve foi a de um monte alto em uma floresta e silhuetas na neve, o que de forma nenhuma coincide com o terreno de Castelo Negro.
Por outro lado, vejam que até mesmo uma pessoa com inclinações humanitárias como Davos não vê qualquer vantagem para Stannis em socorrer a Patrulha quando lê a carta pela primeira vez:
Onde está o mal em um rei selvagem qualquer conquistar o Norte? Afinal, Stannis sequer controlava o Norte. Sua Graça dificilmente podia ser acusada de não proteger pessoas que se recusavam a reconhecê-lo como rei.
(ASOS, Davos V)
Davos obviamente não faz este cálculo usando a moral como bússola. Ele provavelmente faz um cálculo político, como Mão do Rei, como alguém que conhece a cabeça de seu próprio Rei. Afinal, Stannis não tinha homens para oferecer uma ajuda real à Patrulha. Nas condições que Stannis estava, para dar uma ajuda real ele teria que ir enviar praticamente toda sua força.
Sou a Mão do Rei, certo. Stannis podia ser o Rei de Westeros no nome, mas na realidade era o Rei da Mesa Pintada. Controlava Pedra do Dragão e Ponta Tempestade e tinha uma aliança cada vez mais incômoda com Salladhor Saan, mas era só. Como podia a Patrulha ter voltado os olhos para ele em busca de ajuda? Podem não saber como ele é fraco, como a sua causa está perdida.
(ASOS, Davos V)
Sabe o que é interessante sobre isto? Quem foi que deu uma resposta igual a essa ao pedido de ajuda feito pela Patrulha? Tywin Lannister.
Tyrion lembrou-se de sua visita à Muralha [...].
[...] A Patrulha está com uma grave falta de efetivos. Se a Muralha cair...
... os selvagens inundarão o Norte – concluiu o pai – e os Stark e os Greyjoy terão outro inimigo para combater. Se, como parece, já não desejam ser súditos do Trono de Ferro, com que direito olham para ele em busca de ajuda? Tanto o Rei Robb como o Rei Balon reivindicamo Norte. Que eles o defendam, se conseguirem. E, se não conseguirem, esse Mance Rayder até pode se revelar um aliado útil.
(ASOS, Tyrion III)
Stannis divide alguns traços de personalidade com Tywin, especialmente no tocante a fachada de durões. Ambos são comandantes de guerra experientes, que preferem comandar da retaguarda, bons estrategistas e têm visões pragmáticas da política. Ambos se reconhecem como inimigos poderosos e tentam esconder suas estratégias do outro, pois têm mentalidades muito próximas. Nessa releitura, inclusive, reparei pela primeira vez que Tywin e Stannis usam a mesma expressão para avaliar Robb Stark:
Sim, pus os homens menos disciplinados na esquerda. Previ que quebrariam. Robb Stark é um rapaz verde, provavelmente mais ousado que sábio.
(AGOT, Tyrion VIII)
...
[...] O filho de Eddard Stark foi proclamado Rei no Norte e conta com todo o poderio de Winterfell e Correrrio.
Um jovenzinho verde – Stannis ironizou. – E outro falso rei. Devo aceitar um reino mutilado?
(ACOK, Prólogo)
Diante destas similaridades, me chamou a atenção que Tywin Lannister foi o único outro político a receber uma carta de apelo vinda da Muralha. Eis a resposta que ele deu a Pycelle:
Cinco reis? – o pai estava aborrecido. – Há um rei em Westeros. Esses tolos de negro podiam tentar se lembrar disso, se desejam que Sua Graça lhes dê ouvidos. Quando responder, diga-lhe que Renly está morto e que os outros são traidores e farsantes. […] – A Patrulha da Noite é formada por um bando de ladrões, assassinos e grosseirões ilegítimos, mas ocorre-me que poderiam demonstrar ser diferentes, desde que tivessem a disciplina adequada. Se Mormont está realmente morto, os irmãos negros têm de escolher um novo Senhor Comandante. […] solicite a Marsh que dê os melhores cumprimentos de Sua Graça ao seu fiel amigo e servidor, Lorde Janos Slynt.
(ASOS, Tyrion IV)
Essa deve ter sido exatamente a reação de Stannis quando Davos leu a carta. Portanto, se Davos queria estar preparado para convencer Stannis, ele deveria ter alguns argumentos na manga para mostrar que: 1) a Patrulha não quis ofender a pretensão de ninguém, apenas está desesperada; 2) São uma ordem com algum senso de honra; 3) que vale a pena salvar o Norte de uma invasão e 4) que os selvagens não são necessariamente uma ameaça.
Qual não foi minha surpresa quando notei que Davos reflete sobre todos esses argumentos no capítulo anterior a tirar Edric de Pedra do Dragão e ler a carta a Stannis e Melisandre. A história de Davos sendo aprendiz no barco de Roho Uhoris, que a primeira vista parece uma lembrança totalmente desconexa a princípio, parece ter uma função no convencimento de Stannis.
Davos sabia que Stannis ficaria ofendido pela menção ao cinco reis (“essa conversa de cinco reis teria sem dúvida enfurecido Stannis”), mas Davos sabe que se a carta também havia sido enviada a Stannis, a Patrulha deveria estar em uma situação tão desesperada que não tinham como escolher (“Só um homem esfomeado suplica pão a um pedinte”). Mas a Patrulha não sabia da situação de Stannis (“Podem não saber como ele é fraco, como a sua causa está perdida”), então, ao responder ao chamado Stannis poderia passar a impressão de força e ainda matar a fome de vitória de seus soldados.
Porém, como Tywin alegou a Patrulha é apenas um “bando de ladrões, assassinos e grosseirões ilegítimos”, por que Stannis gastaria recuros e se juntaria a este tipo de escória? É aqui que entra a história aparantemente aleatória do tyroshi em cujo barco Davos foi aprendiz.
A primeira vez em que viu a Muralha era mais novo do que Devan e servia a bordo do Gato da Calçada às ordens de Roro Uhoris, um tyroshi conhecido de cima a baixo do mar estreito como Bastardo Cego, embora nem fosse cego nem filho ilegítimo. Roro tinha passado por Skagos e entrado no Mar Tremente, visitando uma centena de pequenas angras que nunca antes tinham visto um navio mercante. Trouxe aço; espadas, machados, elmos, boas camisas de cota de malha, para trocar por peles, marfim, âmbar e obsidiana. Quando o Gato da Calçada voltou para o sul, trazia os porões repletos, mas na Baía das Focas surgiram três galés negras e pastorearam-no até Atalaialeste. Perderam a carga e o Bastardo perdeu a cabeça, pelo crime de vender armas aos selvagens.
Davos tinha comerciado em Atalaialeste nos seus dias de contrabandista. Os irmãos negros eram inimigos duros, mas bons clientes, para um navio com o tipo certo de carga. Mas apesar de ter aceitado o seu dinheiro, nunca esqueceu o modo como a cabeça do Bastardo Cego tinha rolado pelo convés do Gato da Calçada.
A história mostra que representa a Patrulha como uma ordem com uma certa noção de disciplina e justiça. Fiel no cumprimento de seu dever. Veja que o incidente ocorreu antes da vida de contrabandista de Davos, não havendo porque ninguém suspeitar que ele seria persona non grata. Ainda assim, a experiência foi marcante o suficiente para ficar na memória do cavaleiro das cebolas.
Por outro lado, a fama de bons clientes é uma sutileza interessante. Mostra que a Patrulha é aberta a negócios e não trata pessoas com ingratidão. Este tipo de julgamento de Davos deve ser capaz de aplacar qualquer medo que Stannis tivesse de seguir para o Norte, ajudar a Patrulha e, no fim, ser recompensado com ingratidão.
Todos estes detalhes soariam como música nos ouvidos de Stannis e muito possivelmente poderia neutralizar a opinião elitista que o rei certamente compartilha com Tywin.
Quanto ao convencimento de que o Norte merecia atenção, Davos buscou inspiração nas próprias palavras de Melisandre.
Quantos garotos vivem em Westeros? Quantas garotas? Quantos homens, quantas mulheres? A escuridão vai devorá-los todos, diz ela.
(ASOS, Davos V)
Assim, quando a nova Mão percebe que a visão fala sobre a Patrulha da Noite, que está no ponto mais ao Norte de Westeros, ele vê que as palavras de Melisandre prenunciam que todos ao Sul da Muralha estão indistintamente no mesmo barco. Portanto, poderia facilmente argumentar que a noção de povo que Baratheon deveria proteger com o sacrifício de Edric também incluía as pessoas que não se ajoelharam para ele. Afinal, era exatamente o que ele estava tentando fazer tendo o povo do Sul em mente.
Se Melisandre soubesse desta carta... O que foi que ela disse? Aquele cujo nome não pode ser proferido está reunindo o seu poder, Davos Seaworth. Em breve chegará o frio, e a noite que nunca termina... E Stannis teve uma visão nas chamas, um anel de archotes na neve, rodeados de terror.
(ASOS, Davos V)
sei que um rei protege o seu povo, caso contrário não é rei nenhum.
(ASOS, Davos VI)
O convencimento de que o Povo Livre não era uma ameaça, porém, não ocorreu com base neste mesmo argumento. Nós vimos Jon Snow fazer uma forte defesa de que os selvagens eram homens também, mas em nenhum momento a coisa ocorre do mesmo jeito com Stannis. Em verdade, no momento em que Davos lograsse demonstrar que o Norte precisaria ser salvo, pensar em uma parceria com Mance Rayder (como Tywin cogitou, então portanto passaria pela cabeça de Baratheon) seria um tiro no pé de Stannis. Ele sabia que os Nortenhos veriam Mance como uma ameaça constante e nenhum deles abrigaria o Povo Livre.
Assim, Davos precisava convencer Stannis de que os selvagens não eram todos clones de Mance Rayder, que era possível separar o joio do trigo. Por outro lado, uma visão humanista dos selvagens também se fazia necessária para que o rei não os visse como seres humanos e, portanto, seus súditos. Para isso, GRRM usa novamente a experiência de Davos com Roho Uhoris.
Conheci alguns selvagens quando era garoto – disse ao Meistre Pylos. – Eram ladrões razoáveis, mas ruins na pechincha. Um deles desapareceu coma nossa garota de cabine. Tudo somado, pareceram-me homens como os outros, uns bons, outros maus.
O argumento certamente convenceu Stannis, pois temos evidência de que ele já chegou em Castelo Negro com a intenção de dobrar os joelhos dos selvagens, não massacrá-los. Até o número de cativos é igual ao número de mortos. Uma quantidade enorme de prisioneiros, especialmente de um povo que não paga resgates.
Matei mil selvagens, capturei outros mil e dispersei o restante, mas ambos sabemos que eles voltarão. Melisandre viu isso em seus fogos. [...] E quanto mais nos sangrarmos uns aos outros, mais fracos estaremos todos quando o verdadeiro inimigo cair sobre nós. […] Seus irmãos não gostarão disso, não mais do que os senhores de seu pai, mas eu pretendo permitir que os selvagens atravessem a Muralha... [...] Quando os ventos frios se erguerem, sobreviveremos ou morreremos juntos. É hora de fazermos uma aliança contra o nosso inimigo comum.
(ASOS, Jon XI)
Stannis perdoou Davos?
Outra pergunta que parece ter uma resposta óbvia e ululante, mas só parece. Stannis não matou Davos, mas todas as pessoas envolvidas na extração de Edric de Pedra do Dragão foram sutilmente punidas por Stannis.
Rolland Storm e Meistre Pylos foram deixados para trás em Pedra do Dragão para tomar conta da fortaleza. Salladhor Saan somente não foi dispensado porque Stannis precisava dos navios dele para chegar a Atalaialeste, mas Stannis não deu qualquer outro passo para tentar pagar o pirata desde então, fato que pesou na decisão do liseno de abandonar Stannis.
No fim, Stannis enviou Davos em uma missão que dependia exclusivamente dos navios de Saan, um pirata a quem ele estava negligentemente negando pagamento.
Então, de certo modo, Stannis tornou-se um pouco mais negligente com Davos, o despachou para longe e passou a lhe exigir mais serviço. Uma punição tão sutil que pode nem ter sido deliberada, algo inconsciente.
Contudo, o rei não foi tão longe ao ponto de convocar os homens que estão guardando Edric em Lys.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.09.13 19:44 EuronFuckingGreyjoy Ter conta bancária nos EUA (ex: Bank of America) vale a pena? Como fazer?

Primeiro de tudo, já digo logo, não sei NADA sobre investimentos. Comecei há 3 semanas a procurar alguma coisa aqui, outra ali, e acabei achando o tópico sobre primeiros passos para investir nesse REDDIT e achei legal só para dar uma lida, mas sem ainda me aventurar.
Então, me desculpem pela minha IGNORÂNCIA, por favor não façam deboche do tópico, porque por mais que a pergunta seja de fácil resposta para muitos que já saibam investir, para leigos, como eu, pode ser algo que possa ajudar.
Falei, falei e não fui direto ao ponto. Então, indo direto ao ponto. Tentando conhecer um pouquinho mais sobre investimentos, assisti a esse video: www.youtube.com/watch?v=Ub2lZw3VFpE
E nesse video tem uma cadeia de comentários (que não posso opinar se são certos ou errados, pois não tenho a experiência necessária) que levou a uma discussão sobre, basicamente, como vivemos em um país sem educação financeira (e um país de ladrões) e como talvez valha mais a pena simplesmente "abandonar", dar o foda-se para o Brasil e partir para investimentos estrangeiros. Que, atualmente, é um risco investir no Brasil, e, pasmem, (não sei até que ponto isso é uma brincadeira por parte de quem investe) - que é mais justo (até concordo) e mais seguro guardajuntar dinheiro em baixo do colchão do que deixar na poupança para o banco te passar uma mixaria no final.
Toda essa discussão levou a um comentário final sobre o que é bom mesmo é comprar dólar e que é mais seguro ter conta nos EUA porque aqui, devido aos nossos governantes, um novo risco de confisco de poupanças e fundos de renda fixa estaria a um clique de acontecer em caso de imposição de estado de sítio, pois, além de um certo alguém ter umas atitudes meio intempestivas, a ordem mundial está muito mais agitada que em um passado recente e não sabemos o dia de amanhã - é claro que existe muito terrorismo nesse tipo de discussão, mas probabilidade é aquilo né, varia conforme todos os riscos que giram ao seu redor.
Sendo assim... em caso de descrença na economia do país, descrença em seus governantes e MEDO sobre o nosso dinheiro representar apenas números digitais - desmaterialização do dinheiro- vale a pena ter conta bancária fora do país pensando em segurança? (teoricamente EUA é mais estável?) É perfeitamente administrável ou fácil de abrir assim como você abre uma conta no Itaú ou Santander ou qualquer outro banco? Ou se você realmente toma aquele Clonazepam todo dia à noite pensando em mil formas da economia global ruir com o medo do imponderável após o choque causado pela pandemia, valeria mais a pena comprar ouro e deixar dentro do cofre?

TLDR: sou contra TLDRs, acho que quem não tem interesse em ler tudo, simplesmente não deveria mesmo ler.
PS: por favor, entendam que eu só refleti discussões levantadas nos comentários do vídeo. Eu apenas fiquei com dúvidas sobre o tema e achei que seria uma boa ideia saná-las com pessoas que entendem um pouco mais do assunto, aka reddit users. Nenhuma parte do texto do tópico reflete a minha opinião sobre investimentos, até porque não entendo basicamente nada sobre o assunto. Não, o tópico não é de humor. A depender das respostas vou ter uma ideia também se o ambiente aqui é acolhedor a iniciantes. Abraços!
submitted by EuronFuckingGreyjoy to investimentos [link] [comments]


2020.09.12 01:27 sheisice Crise existencial? Qual o sentido da vida?

Estou a escrever este desabafo novamente porque ontem o apaguei sem querer. Há uns dois dias sai com duas amigas minhas e antes que digam que não respeitei a quarentena, moro em Portugal, onde a quarentena acabou há meses. Continuando...
A maioria dos meus amigos já trabalha ou estuda na faculdade enquanto que eu, por ter 'acabado' a escola mais tarde, não faço nem um nem outro. Pretendo começar a trabalhar ainda este ano mas esse não é o tema deste desabafo. É frustrante para mim saber que não posso compartilhar experiências parecidas com as dos meus amigos pois parece que estamos em fases diferentes de vida mesmo com a mesma idade. Sei que este ano não vou poder entrar na faculdade e que provavelmente no próximo ano será a mesma coisa mas mesmo que entrasse, acho que a faculdade já não teria o mesmo significado para mim como antes. E sim, eu sei que a vida não se resume em fazer um curso, trabalhar para construir uma família, apesar da nossa sociedade ver isso como o básico para uma pessoa ser minimamente feliz.
Então quando saí com as minhas amigas, o que deveria ser um encontro alegre tornou-se sufocante.
Elas as duas estudam o mesmo curso mas em faculdades diferentes, ambas acabaram o primeiro ano e claro que ficaram muito entusiasmadas em compartilhar isso comigo. Eu fiquei feliz por elas. No entanto, 90% da conversa que tivemos foi sobre o curso delas(não estou a brincar quando digo isso) e foi ai que comecei a desejar voltar para casa. Não queria sentir inveja ou algo do tipo mas também não queria ficar aquele tempo todo a falar só de faculdade quando elas mesmas estavam de férias! Eu pedi para falarmos de outros temas além do curso delas e elas concordaram. Falamos um pouco sobre o que cada uma fez durante estes meses e claro que elas tinham novidades para contar (namoro, passeios, a vida dos nossos amigos, etc) enquanto que eu não tinha nada de emocionante para contar pois passei praticamente estes meses em casa, mesmo quando a quarentena acabou aqui em Portugal.
A conversa continuou e uma das minhas amigas que tem o costume de interromper a conversa para falar dela mesma, não parava de nos interromper. Tivemos até que lhe explicar que ela estava a interromper e ela pediu desculpa. Ela costuma fazer isso mas não o faz com arrogância, apenas fica muito entusiasmada. Todos temos defeitos, né? Então quando essa minha amiga recebeu uma chamada, a minha outra amiga começou a falar comigo e foi ai que eu comecei verdadeiramente a falar, sem frases soltas ou monossílabos. Até a minha amiga comentou isso, que enquanto a outra falava por chamada, eu comecei a falar.
Durante a conversa, comentei sobre ter pensado no verdadeiro sentido da vida pois passei estes meses a me questionar muito sobre isso. E quando elas me perguntaram qual era o sentido da vida para mim eu respondi algo como "O sentido da vida para mim? Acho que é sobreviver!". A frase soou deprimente pois as repostas delas em relação à pergunta foram muito mais interessantes e cheias de sonhos como "acabar a faculdade ou marcar a diferença ajudando alguém e bla bla". E mais uma vez senti-me uma idiota.
Elas voltaram a puxar o assunto faculdade, começaram a falar sobre as matérias do curso que eu não entendia nada mas sorria e fingia adorar ouvir tudo. Elas se aperceberam que estavam a falar demais sobre isso e pediram-me desculpas mas sempre voltavam para o mesmo. Algumas vezes ainda tentavam que eu falasse sobre outras coisas mas eu não tinha nada de interessante para dizer. Comecei a desejar que o dia acabasse logo e felizmente uma delas disse que tinha que ir para casa e eu aproveitei para também sair dali.
Quando cheguei a casa chorei. Sentia-me uma falhada e vazia por dentro. Percebi que a minha vida está parada, fechada numa bolha, porque eu não faço nada para mudar isso, simplesmente fico no conformismo. Quero emoção, algo novo na minha vida mas estou cansada de viver. Quero pessoas verdadeiramente interessadas em me conhecer profundamente pois sinto que a maioria que me cerca não quer saber de mim de verdade, talvez me achem muito burra ou apenas apagada...Mas como posso querer que me conheçam profundamente quando nem eu faço esse esforço por mim mesma? Será que devo mesmo me esforçar mesmo sabendo que não valerá mais a pena pois vou morrer um dia?
E não, não me vou suicidar. Apenas estou cansada. Sinto que a vida não tem significado. Fazer x cursos, ser dono de uma empresa ou construir uma família. Tudo isso um dia vai acabar quando a morte chegar e eu só quero que ela chegue. Sei que estou numa crise existencial a encaminhar para uma depressão. Sei também que este texto ridículo não me vai levar a lado nenhum mas estou cansada. Só quero perceber o sentido de colocar vida na terra para depois sofrermos. Pessoas vivem com a dor e falta de itens básicos na vida enquanto que eu, com os pais vivos, um teto e amigos, sinto-me vazia, estranha...
Qual seria o sentido da vida se não sobreviver? Os últimos meses foram intensos para todos nós e isso só me fez ver que não tem necessidade nenhuma estarmos vivos. As pessoas sofrem, uns mais que outras. É inevitável. Estou cansada de ver tanto sofrimento para depois saber que vamos todos morrer.
O mais engraçado nisto tudo é que eu faço parte daquele grupinho de pessoas que acredita em vidas passadas (sim, não me julguem). Então, sendo eu uma pessoa que acredita no reencarne e desencarne, devia saber que a vida apesar de efêmera, terá continuidade noutra vida e que não estamos aqui nesta vida por acaso. Só que ultimamente esse pensamento criou-me mais incertezas do que certezas. Porque se de facto vidas passadas existem, eu não quero reencarnar novamente. A vida já é tão exaustiva para reencarnar novamente...
É isso. Eu não quero tirar a minha vida, apenas quero que a vida me tire dela.
Enfim, obrigada se chegaram até aqui. Peço desculpas pelo desabafo cheio de contradições e erros ortográficos. Se quiserem dizer algo, fiquem à vontade!
submitted by sheisice to desabafos [link] [comments]


2020.09.10 21:36 yoyo_quicric Conhecer novas pessoas Lisboa/Odivelas

Olá, eu sou o Dan, tenho 20 anos gosto de gaming de sair e conhecer novos sitios, vejo alguns animes e series. Queria conhecer alguem que fosse uma pessoa chill na vida ,que nao levem tudo muito asserio,de qualquer forma, se tiver aqui alguém de Lisboa, bora falar.
submitted by yoyo_quicric to fazeramigos [link] [comments]


2020.09.10 16:10 henrylore Najiyu Ep 8 - A rainha dos gatinhos

**aparece um garotinho andando por aí se equilibrando em pedaços de madeira jogados na rua, pulando de pedrinha em pedrinha pra não pular nas frestas, um garoto normal andando pelo reino de catcastle
??: *comprando um sorvete de morango (é um garoto normal, de cabelo castanho, um colar com uma pedra de pingente, um amuleto)
*tomando o sorvete enquanto...
??²: *olhando pra ele escondido atrás de um telhado, olhando fixamente pra ele através das tendas de venda
hmm.....
*da pra reconhecer q é a mesma pessoa que tava no trem, roubando todo mundo, as orelhas de pelo cinza, os olhos azuis
*se esconde
...
**voltando...
Ne: nós precisamos falar com a rainha may
Hb: iiiii calma aí
a gente precisa conhecer vocês primeiro! já chegaram querendo entrar no castelo, não funciona assim aqui...
Ne: ...
H: *olha pra Nevaska e volta o olhar pra eles dois
tá, então vamos conhecer o reino inteiro?
Li: rapaz o reino inteiro eu não sei não viu, mas grande parte a gente consegue mostrar
Hb: faz sentido, vamos nessa
vocês provavelmente vieram cedo pro festival da música, o pessoal só chega daqui a alguns dias, eles nunca chegam exatamente no dia do festival....
H: por que não tem tanta gente aqui?
Hb: eu não sei, a galera curte os festivais mas na hora de morar eles desistem
H: hmmmm...
(a postura do Hb é super tranquila perante a tudo oq tá acontecendo, parece que ele faz aquilo ali todo dia)
L: e aquele castelão ali?
eu sempre quis um castelão
Hb: o castelo é da rainha, só entra lá quem tiver coisas importantes pra falar
com os tickets
*puxa uns papeizinhos do bolso e mostra
H: e isso aí são os tickets?
Hb: é... a maioria
eu presumo que alguns aqui são umas multas ou mensagens de fãs mas não tem segredo
eu tenho que ler os tickets ainda...
Li: o hb é preguiçoso, liga não
Hb: você que é chata
P: *sussurra no ouvido do Henry
o que tá acontecendo
H: eu sei lá
L: mano isso é maneiro
isso tudo é muito maneiro
Hb: algum de vocês quer casar?
H: °°
L: que
Ne: ????
P: err
Li: nao doido não com ele, é que ele é padre
H: aaaah
L: Hmmmm. faz sentido
EI CARA EU POSSO SER PADRE?
Hb: -'
L: MANO EU SEMPRE QUIS SER PADRE NAMORAL DEVE SER MANEIRISSIMO
Ne: Lusk...?
L: o que foi é minha chance de ser padre
Hb: calma lá amigo não se emociona
H: •-• carceres luskeiros
Li: rapaz vocês são energéticos
gostei
Hb: bem, pra ter a confiança de vocês eu tenho que apresentar vocês pros outros guardas daqui
P: guardas?
Li: tem guardas moradores velhos... tinham patinhas...
P: patinhas?
Li: é como a may chama os indicados a guarda por aqui
a gente separa esse pessoal em categorias e coisas que eles merecem por ações que eles fazem
o hb por exemplo é um guarda
Hb: oi
L: QUE MANEIRO Eu gostaria de guardar.
H: *olha pro lusk com uma cara bem séria
L: opa
Ne: então é só a gente conhecer os outros caras que a gente pode falar com a rainha
Hb: calma lá eu preciso deixar eles cientes de que vocês tão aqui, porque não é nada contra, mas a gente precisa ter certeza de que vocês são confiáveis
Ne: aaaa-
H: tranquilo
Hb: vem cá
**vão em direção ao castelo, e na porta já percebem um cara do lado dela, bem alto, que olha pra eles e diz
??: Olá. bem vindos ao catcastle!
Hb: esse aqui é o gui, ele é show de bola
Gui: opa meus queridos, tudo show?
*abraça pra cumprimentar eles já que ele é muito alto mesmo
L: caraaaaca
Gui: vocês podem me chamar de gui, ou de gordo
L: GORDAOOOOO
Li: *chega perto do Henry
rapaz esse teu amigo grita que é um tanto não?
H: eh-
*puxa o lusk
Calma cara.
L: COMO QUE EU VOU ME CONTROLAR COM TANRA COISA MANEI-
Ne: *da uma cotovelada na costela dele
L: a-
Hb: Gui, eu vou levar eles até a rainha, cuida da porta aqui enquanto eu não chego ok?
Gui: pode deixar
Hb: *abre a porta
**veem um corredor enorme cheio de armaduras e quadros, com uma escada no fundo
H: corredor bonito
L: foi o que ela disse num campeonato de corrida
Hb: *guia eles até às escadas, que levam a outro corredor
ué... o gerb era pra ta aqui
Li: *olha pro hb
nao era seu turno doido?
Hb: °°
viiish é hoje que eu perco o caaargo
**vão até o final e param de frente a uma porta vermelha com detalhes de gatos de diamante, mais chique que a porta de fora, com uma tranca aberta, mas que quando fechada parece bem resistente
Hb: ó só
a partir daqui,
cuidado tabom?
H: blz
P: ok
Ne: tranquilo
L: *colocando a mão na costela de dor
tran-quilo
Li: *da dois passos pra trás
Hb: *cuidadosamente abre a porta
**se revela uma sala cheia de janelas, com um tapete roxo no centro, e um lustre enorme com bastões luminosos que soltam glitter visíveis no ar pela própria luz do sol no fundo, se encontra um trono branco e roxo, com uma pessoa sentada, e uma caneca do outro lado
**é então que a pessoa vira pra eles e diz
??: Sim?
H: *ameaça ajoelhar no chão quando...
Hb: eai may tranquilo?
Ma: oi
Hb: eu trouxe uma galera aqui *aponta pra eles
e acho que você devia dar uma olhada sei lá vai que eles são uns chineses infiltrados
Ma: oi gente pessoas novas? *bebe um gole do que ela tá tomando na caneca e coloca no braço do trono de novo deixando pingar um pouquinho pra fora *na hora todo mundo percebe q é café
*desce do trono como se fosse um penhasco
Ma: pessoas novas...!
que surpresa
prazer gente eu sou a MayGabi, rainha dos gatinhos
e dona dessa vila aqui toda!
H: prazer eu sou o henry
P: prazer eu sou a... *pensa em algo
toggi!
H: que?
L: eu sou o grande, glorioso, bonitão, Lusk.
Ne: eu sou a Nevaska
eae
*faz um paz e amor
Hb: eu vou ali pra porta
não aprontem nada viu?
Ma: hmmmm...
o que vieram fazer? normalmente não vem gente pra cá...
...não por enquanto
Ne: nós viemos fazer um trabalho e precisamos da sua ajuda
a gente tá investigando uma pessoa que.. talvez tenha vindo pra cá
e a gente precisaria dos registros de quem entrou na vila ultimamente
Ma: eu não posso sair dando nomes de pessoas aqui pra vocês assim
Ne: hmmm... sabe se viu um cara chamado shibaru por aqui?
Ma: ... Shi- o que?
eu não sei gente, não tem como eu saber dentre tantas pessoas que entraram e saíram daqui
Ne: pode verificar pra gente?
Ma: ...
Ne: *puxa o distintivo dourado do shibaru e joga pra ela
a parada é séria. o cara é da ordem
Ma: *olha atentamente pro distintivo enquanto pensa
Li: não acham que se ele for entrar aqui ele não vai entrar desse jeito assim?
H: hm?
Li: ele entraria escondido se fosse entrar aqui, já que ele é da ordem
se vocês tão procurando ele, ele não ia pra um lugar onde a rainha tem nome de todo mundo que entra e sai
Ma: eu vou verificar os registros.
vejam com os guardas da fronteira se eles encontraram alguém
H: ue mas ninguém recebeu a gente
L: ninguém perguntou nome da gente
Li: tinham dois staffs encarregados disso mas eles sumiram...
Ma: o Bessa e o Clocks tavam encarregados disso no lugar deles. eles devem ter tido algum problema
ou... sei lá
H: ja começaram os desaparecimentos aqui?
Li: ...
Ma: ja começaram?
Ne: é, tá rolando uns desaparecimentos pelo lugar todo
e a gente ta investigando isso
Ma: e o que esse menino tem a ver com isso?
Ne: ele... fez coisas erradas e a gente tá buscando ele
Ma: hmmm.... eu não sei eu não posso julgar algo se eu não sei nada sobre ele né? a gente conversa mais tarde sobre isso, ok?
Lily
Li: sim?
Ma: voce ainda tem o seu hotel né? leva eles lá pra eles passarem essa noite
daqui a uns dias vai ser o grande festival
não quero que vocês vão embora antes disso acontecer
P: pode ter certeza que não vamos, rainha música sempre foi e continua sendo minha paixão eu costumava dançar quando criança
Ma: que interessante... togginha né? hehe
então vão lá
e boa tarde ;3
P: boa tardeeee
Ne: °°
ponce?
P: ah qual foi eu realmente dançava quando criança
Ne: a parada não é essa, você concordou em ir ao festival
e as investigações?
P: seja lá o que o shibaru quer fazer, ele vai fazer em lugares com grandes concentrações de pessoas, e se ele escolheu aqui, esse é o ponto dele
Ne: ...
P: ta achando o que minha filha
Ne: *boceja e bota as mãos atrás da cabeça
mas que saco hein
vai ver tem algo interessante nisso aí
**do lado de fora do castelo
Gui: *fecha a porta
vai com deus, pessoal!
H: aqule mano ali parece ser simpático
Li: todo mundo é simpático aqui...
hummmm *olha pra cima
tá anoitecendo, querem comer alguma coisa
H: beleza
L: eu tô com fome...
P: por que nao falou de comida antes?
Ne: meh
Li: vou apresentar pra vocês algumas pessoas daqui
*abre a porta de uma loja
*bate no balcão
Xiulabi! esse aqui é o cara
Xi: hummm
eai Lily o que trás aí?
Li: rapaz esses aqui são os novos caras que acabaram de chegar aqui
**sai um cara de uma porta do lado
??: hum?
Li: ah e esse aí é o kanix, eles sempre andam juntos
H: o que é essa loja?
Li: essa loja aqui é uma oficina de coisas avançadas, eles usam outros tipos de pedras pra fazerem não só armas mas como máquinas e outras coisas
eles costumam fazer as únicas coisas elétricas daqui
L: comequié??? xilofone?
H: XIXUXI?
Li: xixuxi... aksskakskjs
*olha pro relógio
vixe gente... tá tarde é melhor eu ir
Ne: vai lá
Li: *entrega um cartãozinho pra Nevaska
se vocês quiserem ir lá no hotel vocês podem, tem uma pessoinha lá pra ajudar vocês
;)
*sai da loja
Xi: meeee kanix é melhor a gente fechar também
Ka: verdade bora lá
Ne, H, L, P: *saem da loja
Ne: hotel forestvalley hm?
**veem um vulto preto andando
Ne: *olha atentamente pra ele e percebe um rosto familiar
??: *olhando pro lado procurando algo
Ne: ...
ei!
??: *olha pra eles revelando o rosto, de uma pessoa alta, meio magra mas musculosa *percebe-se, o shibaru olha pra eles e diz
sim?
Ne: é você!
Sh: poxa vida que coincidência né? *tira o gorro do casaco
achei que vocês iam tá numa missão agora
Ne: e estamos
o que você tá fazendo aqui?
Sh: bom, como você voltou eu resolvi tirar umas férias né?
relaxar, botar os pés pra cima, curtir um festival
eu sou humano também, não?
hahaha
H: a gente sabe o que você fez
Sh: o que eu fiz? como assim o que eu fiz?
Ne: a gente viu o corpo da Winry no chão, completamente morto
você não tem nenhum senso de humanidade não?
Sh: o que? o que.. como assim? a Winry, morta?
e como tá o Arthur
L: nao de faz de preocupado, a gente sabe que foi você
P: *olha atentamente pra ele
...
°-°
*fica parada observando
Ne: foi você, a gente tem todas as provas!
Sh: e quais são?
e quem é ela? *aponta com o olhar pra ponce
P: ... foi você...
Sh: ?
P: foi você que me botou naquela pirâmide!
Sh: voce deve tá se confundindo
H: para de fingir, óbvio que foi você
*pega o distintivo do shibaru e enrola num monte de papel
*joga nele
Sh: *segura, depois de bater na barriga dele
...
H: você matou a Winry depois que ela leu isso aí
Sh: ... ela tinha que aprender a cuidar da própria vida...
Ne: COMO É??
Sh: eu particularmente não gosto de deixar outras pessoas verem minhas coisas pessoais...
Ne: ENTÃO VOCE ADMITE QUE MATOU????
Sh: pra calar a boca dela? digamos que talvez
Ne: *avança num ataque de fúria e soca com tudo a barriga dele
Sh: *vai um pouco pra trás e fica parado com as mãos na barriga
*deixa o distintivo cair
ugh
*se ergue e olha pra Nevaska
Ne: seu... MEXILHÃOZINHO
*soca a cara dele e tenta dar outro soco nele
Sh: *segura Nevaska
u-uh guarda???
algum guarda? alguém?
socorro!
Hb: *passando por ali olha e vê os dois brigando
*corre e entra no meio
opa opa opa opa
que isso gente? calma aí..
Ne: como que eu vou ter calma pra um assassino???
*empurra hb
Hb: *quase cai no chão
*levanta meio sério
moça, e vocês vocês vem comigo
H: °°
Ne: hurrrrr
:l
Hb: *segura Nevaska
Ne: EI ME SOLTA
Hb: Clocks
Cl: *surge de trás de uma das casinhas
Hb: ah perfeito, clocks ce consegue levar esses caras aqui pra prisão enquanto eu converso com o senhor aqui?
Cl: *segura a Nevaska
L: ouououou qual foi a gente não vai ser presos não tá maluco????
Cl: *olha pra trás e vê um cara bem alto e forte passando
ei, gerbidal, por favor
Ge: qual o problema?
Cl: cuida desses guris aqui pra mim
Ne: ME LARGA LOGO SEU RELÓGIO
*tenta segurar os braços do clocks mesmo estando imobilizada
Cl: eu quero ver se você vai falar isso depois...
Ge: *carregando um em cada parte de um jeito indescritível
eae pra onde a gente leva essas caçamba véia?
Cl: me segue
*vão se distanciando
Hb: humph
senhor, pode me dizer o que acontece-
*olha pra trás
...
senhor?
...
...
*não tem ninguém...
No próximo do de Najiyu:
Najiyu Ep 9 Nós somos prisioneiros! Por enquanto
🕵️‍♂️
submitted by henrylore to Najiyu [link] [comments]


2020.09.10 15:51 henrylore Najiyu Ep 2 - Rivais de reinos diferentes, o mais forte prevalece...

L: ...
H: Imura...
L: o tio...
ei, henry
H: hm?
L: você disse que veio aqui pra se descobrir e descobrir novas coisas né?
H: sim-?
L: e eu digo que eu vim aqui para..
destruir esse maldito reino
*se levanta
H: L-lusk nao
L: *sai correndo em direção ao lado de fora
H: ESQUECEU DO QUE O IMURA FALOU?
L: EU NÃO-
*para em frente a um cavaleiro
??⁴: *percebe lusk e aponta a lança pra ele
*ataca
L: uh oh
**acontece um barulho MT aleatório e o lusk se vê dentro da casa
L: uh- pq q eu tô aqui dentro?
*olha pra frente
H: *parado na frente do cara com um corte no braço
L: MALUCO COMEQUE TU FEZ ISSO
H: com a minha cara
??⁴: então você é a raposa
*prepara outro ataque
Im: *aparece na frente dele
H e L: IMURA?!
Im: *defende a porrada com um troço não identificado
eu não deixarei com que chegues nelex
MENINOX VAO!
L: CAVALO O VELHO É SINISTRO
H: *sai correndo
L: *segue o henry
Guarda¹(q era o ??⁴): é melhor não se meter, velho
Im: eu tenho 58 anox, é melhor não me chamar de velho.
*puxa objeto não identificado e abre ele direitinho
*é uma lança
*chuta o guarda e puxa a lança
de mim voxex não paxam.
**voltando pro Henry e o Lusk
L: Ô SUA LAVADEIRA VOCÊ TA MALUCO?
H: que foi
L: como voce fez aquilo??
E POR QUR VOCÊ FEZ AQUILO
H: queria ter a cara cortada em 2 é?
L: vai que eles cortam meu cabelo, seria estiloso
H: 🙄
Guarda²: *aparece na frente dos dois
aqui você não passa.
H: °°
L: *levanta as mãos e faz uma ventania que joga o cara pra trás
Gua²: então você não é uma criança comum
L: é claro que não, eu tenho doutorado em química
Gua²: *ataca com a lança de cima pra baixo
H: *puxa lusk pra trás
L: *cai de BUNDA no chão
PPPP QJAL FOI MANÉ
H: se você ficar se jogando assim nos caras você vai acabar perdendo o nariz
L: é mano... eu não quero parar de sentir cheiros
Gua²: *junta as mãos e levanta um monte de terra formando uma barreira
L: mas aí o que a gente faz cm o cara?
H: é, ai complicou
você tem alguma técnica que de dano e não só fique repelindo?
L: *pensando
*chão começa a tremer
Gua²: *sai de dentro da terra e joga lusk na direção da parede
H: *pega um pedaço de madeira meio afiado do chão e vai em direção ao guarda
Gua²: *segura mão do henry e chuta ele pra longe
PRISÃO DE CORRENTES
*daí ele cria umas correntes em volta do Henry e prende ele
H: *cai no chão
L: HENRY
H: EU NAO VOU SAIR DAQUI TAO CEDO
É COM VOCÊ
Gua²: agora que a raposa está presa, falta acabar com o resto...
H: LUSK!! ELE NAO VAI TE PRENDER ELE VAI TE FATIAR IGUAL UM QUEIJO
(Nota: os guardas não usam armaduras como os convencionais, eles usam só uma roupa bem pesada que parece ser de frio, mas ela é reforçada com um tecido bem forte e com algumas proteções de madeira e tals)
Gua²: *mira com a lança na cara do lusk e ataca
L: *leva o ataque
H: ih, morreu
L: *some
H: ????
Gua²: *acerta a própria parede
L: *atrás da parede concentrado juntando as mãos
*aponta pro cara e cria uma ventania na ponta do punho
e agora... SOCO DE AR
*voa uma rajada de ar muito forte no cara e ele sai voando
Gua²: *bate numa vendinha e o teto cai em cima dele
L: isso vai deixar ele imóvel um pouco
deixa eu te solta- *ve o Henry em pé olhando pro cara caído lá na frente
H: foi uma queda e tanto né
deve ter doído
L: COMO É QUE VOCE SAIU SEU PADEIRO DE CONFEITARIA
H: ah eu?
as correntes dele eram falsas, eram feitas de terra igual a parede dele aí
L: eu devia imaginar... _se o elemento dele é terra tudo vai ser de terra né..."
H: a terra permaneceu me apertando muito forte no início, mas com o tempo ele esqueceu de controlar ela e ela de tornou terra comum
daí ela se afetou pela ventania e umidade
L: espera um pouco...
SENDO ASSIM VOCÊ PODIA TER SAÍDO E ME AJHDADO NE MANÉ
H: deu preguiça...
L: merda.
**aparece um cara atrás do Henry com uma faca no pescoço do Henry
H: eita.
Guarda??: te peguei.
H: ah não
L: O GUARDA pera... O QHE VOCÊ FEZ COM O IMURA
(detalhe: eles tavam todos com uma máscara de madeira lol)
Guarda¹: é complicado *tira a máscara
..
*mostra o rosto q é o Imura
Im: menino, se entregarmos a raposa eles nos deixarão, e permitirão que fiquemos mais com a vila, menino!
L: ...
Im: faça isso pela gente...
L: TIO IMURA VOCÊ SVAE QUE ELE É MEU AMIGO EU NÃO VOU MATAR UM AMIGO MEU PRA SALVAR UMA VILA ONDE TODO MUNDO ME ODEIA
(grande parte do pessoal ouve isso pq da até eco)
Im: MENINO...
H: LUSK NAO É O IMURA
L: que
H: O IMURA FALA TUDO COM X, NAO LEMBRA????
L: é verdade...
*junta as mãos e prepara outro ataque
Im½: *segura as mãos do lusk com correntes
L: carapaças.
Im½: *prende lusk pelos pés afundando ele na terra
agora que eu já tenho o que eu quero
H: *lembra do doke
Do: o rsino é perigoso, eu não quero que você desça lá nunca.
Im½: *leva um golpe por trás e deixa de ser o Imura e vira um guarda normal fodase
Gua½: O QUE
Villager: QUAL FOI CABEÇA DE CARA!
L: o que?
Vi¹: Nós o ouvimos, Lusk e vos perdoamos, relaxeis
L: *se solta das "correntes"
ASSIM QUE SE FALA
Gua½: *levanta faca e ataca o Henry
L: EITA NAOO
H: *aparecw atras do lusk
oi
L: AAA COMO É QUE VOCÊ CHEGOU AQUI
H: eu troquei de lugsr com um barril
L: UM BARRIL DE CREAM SODA???
*olha pro guarda e...
Gua½: *todo melado de um líquido parecido suco de uva só que mais roxo
... isso é
decepcionante.
*prende o cara da aldeia num casulo e aponta pro lusk
VOCÊ ESTÁ ME ATRAPALHANDO
H: beleza chama o serviço de atendimento ao consumidor aí então
Gua½: HWAAAAA
L: SOCO DE AR
Gua½: *desvia
VOCÊ JA ACERTOU UMA NO OUTRO GUARDA E ACHA QUE EU CAIO NESSA?
AHEUEHHE
H: °° ideia, atira em mim
*sai correndo
L: MAGIA DS VENTO
RAJADA DA VENTANIA VERBAL
H: *troca de lugar com o guarda
Gua½: oh.
H: boa.
L: AH É CONSEGUIMOS
né Henry?
Henry?
H: *cai no chão
aaah
trocar de lugar com as pessoas é tão cansativo~
L: eu esqueci aue você gasta 3kg de mana pra isso
Vi¹: *sai do casulo
MEU DEUS O QUE ROLOU
L: eu chutei todos ele com a ajuda do meu fiel escudeiro HENR-
H: *deitado no chão dormindo
L: ... é, eu chutei eles
Vi¹: eu não sabia que você usava elementos
**surge uma porrada de gente
Vi²: é nem eu
Vi³: nem eu
Vi⁴: muito menos eu
Vi⁵: e eu também não
L: é, eu nunca me dei o trabalho de mostrar...
??: IXO FOI GENIAL MENINO AHSUEHEHEBE
L: IMURAAAAAAA
*abraça o velho
Vi¹: 😊 aí, cara, Henry né
H: hm?? oi
Vi¹: voce fez um ótimo trabalho. meu nome é Yaru
H: yaru hmm
prazer
*tenta levantar mas dói o braço q foi cortado

Vi¹: pode ir na casa da enfermeira ali ela tem medicamentos que devem te ajudar
mas aí... vocês dois
H e L: *olha pros 2
Ya: o que farão a partir de agora?
L: ...
H: ... a gente tava com uns planos de sair
L: é, conhecer a capital... e naji...
Yu: ...
(muitos)Vi: *conversando
Yu: vocês sabem que não vai ser fácil como foi aqui né
H: uhum
L: *concorda
Yu: e mesmo assim vocês querem?
Im: a qual foi Yura... deixa ox meninox... deixeis.
Yu: ...
Im: maix...
H e L: hm?
Im: amanhã.
POR QUE HOJE A NOTCHE TEREMUX RANGO GRATUITO!!!
L: OOOOH ISSO VAI SSR MUITO LEGAL TIO VALEU
H: *olhando o lusk abraçando o Imura
Yu: *chega e coloca a mão no ombro do Henry
aí.. eu confio que vocês dois vão chutar a cara daqueles caras..
vocês conseguem
mas... o lusk é meio maluco vê se ele não faz merda, ok?
H: beleza
Yu: VAMOS NSSSA PESSOAL
**um tempo depois
(o cenário tá de noite, o Henry tá na cachoeira num meio de um monte de arvorezinha com frutos roxos e vermelhos)
H: *olhando pra cima
*só se escuta a cachoeira caindo
(nota: o Henry ainda tá com um rasgado no braço mas ele tá com ataduras agora)
H: ...
eu... sempre me senti mal em deixar as pessoas preocupadas
e eu acho que agora eu tô sentindo mesmo isso
L: *Poe a mao no ombro do Henry
H: EI ah é tu
L: *comendo um bolinho
ainda preocupado?
H: um pouco
L: aí... ele provavelmente sabe que você sabe se cuidar, cara
logo ele tá descendo aí
H: ele não pode encontrar com o reino de novo...
L: ... ele era um cavaleiro?
H: sim... os cavaleiros foram trocados depois que outra pessoa assumiu o poder depois do rei Felix ter desaparecido
então os antigos cavaleiros não são tão bem vistos quanto antes
eles são como figuras que resolveram se distanciar...
L: covardes. é assim que eles são vistos...
mas quem liga?
*ainda comendo o bolinho
se alguém te ama, não liga se vai ser chamado de covarde por isso, né?
H: hehe, vai que vamo logo *dá um tapa nas costas do lusk
L: *deixa o bolinho cair
MEUS BOLINHO CAIU NO CHÃO NAAAO
H: JSKSNDHDNEKE
**no dia seguinte
Yu: adeus pessoal
Im: FALOW VOLTEM XEMPRE
H: falow
L: adeus.
**depois de um pouquinho longe
L: cara eu prometo no futuro arrumar um lugar pra eles no reino, pra eles não terem que morar tão isolados assim
aí eles vão ter uma casa legal e divertida
H: seria bolado.
L: nao seria?
aahahana se eu vou conseguir
O IMURA VAI ABRIR O NOVO IFOOD
H: ahajsnsjsjs
o que é ifood?
L: sei lá uma ideia de um restaurante de entregas que você pede e elas chegam
genial né?
H: voce que pensou nisso?
L: sim, dai eu me perdi de casa
**vem uma kunai voando do além
L: *empurra Henry pro lado
**kunai cai no chão e quase acerta eles
L: o que tá acontecendo?
H: ...
L: *olham por uma montanha
(tem tipo uma descida que leva pra uma parte mais cheia de árvore da floresta)
L: *vê uns corpos e facas no chão
que isso mano.
??: *aparece atrás deles (um cara bem alto e gordão com um facão na mão)
e aí
H: OU QUEM É TU
??: o que fazem aqui no meio de uma batalha? querem morrer
L: *junta as mãos discretamente
RAJADA DE VENTO
*empurra o cara um pouquinho pra trás
grf
??: hmm
H: como não?!
L: ele é muito pesado
??: meu turno agora.
*levanta uma mão e faz uma bola de ar
*joga nos dois numa velocidade muito alta
H: °°
L: é... aí... fodeu..
??²: REFLEXO DA LUZ
*golpe volta igual uma bala e corta a bochecha do cara
??⁰: sempre se intrometendo né, Nevaska
Ne: esqueceu que sua luta é comigo?
*aponta com o polegar pro próprio rosto
(é uma mulher bem baixinha, com o cabelo branco, uma cauda de raposa e orelhas de rosa, com uma roupa de manga comprida branca com detalhes pretos e cor gelo, luvas pretas e botas cor de gelo)
H: você é, uma raposa também?
Ne: sim mas a gente trata disso depois
antes eu vou me divertir um pouco com esse patriarca aqui
:3 (é literalmente a cara q ela faz)
FIM NO PRÓXIMO EPISODIO:
-Ep 3- Nevaska, a ninja raposa do gelo!
submitted by henrylore to Najiyu [link] [comments]


2020.09.10 15:46 henrylore Najiyu Ep 1 - A cachoeira

*Cenário todo pegando fogo
*cenário todo destruido
*explode um pedaço de um castelo ¿¿¹(pessoa de olhos vermelhos): acabou. eu destruí o líder em alguns segundos.
¿¿²(uma moça de cabelo rosa): você nem sabe o que você pode causar se fizer isso! VOCÊ NÃO PODE DESTRUIR TUDO
¿¿¹: é uma pena que todos vocês só conseguem dizer isso...
¿¿²: eu não vou deixar! *puxa espada ¿¿¹: *ataca rapidamente e acerta com a espada na ¿¿² é uma pena né... que nem esses poderes sagrados que você tem... são suficientes pra parar uma guerra ¿¿³(um velho com uma manta e um tridente): VOCE NÃO VAI CONSEGUIR *corre em direção ao ¿¿¹
**explode tudo
**você consegue ver uma criança caída no chão dentro do castelo em um lugar mais no cantinho dos escombros depois de tudo destruído
**da zoom na testa da criança e você consegue ver uma espiral
*muda pra um tempo depois e tudo volta ao normal
**numa casa
[o cenário é um quarto, com uma cama e uma mesa de cabeceira]
**debaixo do cobertor:
*sai uma cauda (de raposa)
??: *levanta e sai da cama (você consegue ver o símbolo na testa dele tbm)
hmmmmm
*abre a porta e sai do quarto
tem alguém aí?
**literalmente ninguém responde
*vai na cozinha
DOKE!
Doke?
Dooookeee....
...
Doke?
é, ele sumiu
*sobe na mesa possibilitando nossos queridos espectadores de ver o character design do nosso querido Henry
Henry
Idade: 12 anos (vai fazer 13) Altura: 1,59 Cabelo: loiro e cacheado Coisas adicionais: ele é uma raposa mas ele mesmo não …
Do: Henry? acordastes
H: *corre em direção ao doke
SIM!
como vc ta, conseguiu o telescópio q vc queria?
Do: nah, ainda não
H: mas já se fazem alguns meses...
Do: você sabe, não é todo dia que se vendem telescópios por ai
H: mas e a chuva de meteoros daqui a uma semana?
*faz carinha de choro :(
Do: relaxa a gente vai conseguir *abraça o henry
H: ... ei doke, já faz um tempo que eu quero te perguntar isso....
olha, eu nunca vi bodinhos andando com duas orelhas laranja e uma cauda laranja... então?
Do: você é um bode diferenciado
H: igual você que tem um chifre enorme?
Do: ainda bem que você não é um peixe, porque se fosse um, eu já teria pescado-
H: '-'
fiquei com medo
Do: imaginei. enfim, eu vou pescar
H: tabom, vê se não traz um baiacu dessa vez
Do: vou trazer dois, serve?
H:
*sobe na mesa possibilitando nossos queridos espectadores de ver o character design do nosso querido Henry
H: VE SE NAO DEMORA TA BOM?
Do: PODE DEIXAR...
H: ainda me da calafrios de pensar de onde eu vim...
**cai um livro de capa azul lá da estante
H: ... as pesquisas do doke... H: *abre o livro
Raposas são vistas normalmente na parte mais floresta de Naji, normalmente encontradas nas partes mas frias, e nas partes mais quentes no inverno.
Raposas são reconhecidas em Naji pela sua capacidade de controlar o fogo e de sua velocidade.
Raposas se adequam a novas experiências muito rápido
Raposas costumam ser mais sensíveis na cauda, tornando-a um alvo dos inimigos quando se trata de derrotar uma raposa.
Raposas da neve costumam ser brancas por se adaptarem a se camuflar na neve
Raposas da neve se adequam melhor a climas mais frios, e costumam ser mais experientes em áreas de caça.
Raposas vermelhas Possuem coloração laranja na cauda e nas orelhas E podem estar em qualquer região, menos a de calor extremo H: *olha pra própria cauda
^
e preferem ambientes mais aconchegantes
H: *tem um flashback do passado
{DOKE EU NAO VOU DORMIR SEM COBERTA!!}
to começando a perceber um padrão aqui...
^
Têm dificuldade de controlar mais de 1 elemento
H: *olha pro proprio dedo
eu quero... FOGO!
.
.
.
FOGO!
.
.
.
...fogo?
é, ninguém me ensinou isso afinal né...
vamo continuar
^
Raposas do deserto ou Feneco
**ouve a porta
Do: tô em casa
H: !!!!!!!! *fecha os olhos e aponta o braço na direção do livro *teleporta o livro pra estante *da um sorrisinho
*sai correndo
Do: tá em casa??? ah oi Henry
H: oi Doke tudo bom quanto tempo
Do: eu tô morrendo de cansaço...
H: mas são 12h...
Do: você fica cansado todas as 23h e 6 minutos do dia, Henry
H: não se compare comigo.
Do: você parece assustado, o que houve?
H: ... eu tava conversando com os coelhos ontem... e... já ouviu falar de raposas?
elas parecem bem parecidas comigo pelo oq falaram
Do: parecem bem parecidas é o auge do que tu ja me falou...
hmmmmm....
não, elas não tem nada a ver com você
H: MAS EU TENHO CERTEZA QUE-
Do: vamo lá Henry voce deve tá com fome, pega alguma coisa na cozinha e vai comer.
H: doke, EU sei que eu sou uma.
Do: *olha pro livro e ve ele meio caído Você olhou minhas coisas né?
H: sim.
Do: hmph...
H: *vira pro lado e pega o livro da estante
Do: *lendo
eai, o que vai fazer com essa informação?
é Henry você é uma raposa.
H: o que aconteceu com a minha família
Do: eu ainda não posso te contar *joga o livro no chao
o reino não deixa-
H: dês de quando a gente tem um reino?
vocês nunca me contaram nada mano
Do: Henry, isso é coisa de 10 anos atrás, você não vai querer sbar
H: QUANDO EU TINHA 2 ANOS?
Doke, a minha infância foi só apagada e eu não posso saber de nada....
Do: sua infância foi comigo, e você deve lembrar disso
H: E ANTES DISSO?
eu não vejo duas cabras parirem uma raposa
você nem lembra quando eu nasci né?
Daqui a 2 semanas é meu aniversário, você lembra? Do: ... ffff Henry o importante é que somos felizes ago-
H: é tudo sempre a mesma coisa eu queria sair e fazer aventuras mas você sempre fala que se eu me distanciar eu posso ser sequestrado ou sei lá eu sou um fugitivo por acaso? *sai pela porta da cozinha
Do: ...
[eles moram no topo de uma cachoeira, inclusive]
H: *na ponta da cachoeira pensando
...
*pega um ukulele de um lugar ali perto
Dó Ré Mi Fa...
Do: HENRY
H: que foi agora
Do: você ainda quer conversar sobre...
raposas?
H: não, quero conversar sobre o que houve 10 anos atrás
Do: Henry SE VOCÊ FUGIR TUDO VAI-
H: TUDO VAI? ? ? ? ? ? ?---
uh-
*escorrega da pedra e cai da cachoeira de 1km de altura
Do: HENRY
...
H: AAAAAAAAAAA
**
H: .........
*levanta
aaaah
??: *olhando pra ele
Ih ala, macaco novo na área...
H: AAAH
quem é tu
??: quem é tu né eu so te vi caindo igual a maçã na cabeça do isaac newton e tu vem me perguntar quem sou eu?
H: é o que?
L: vai, levanta dai da agua que ficar com a bunda molhada em pleno inverno não vai ser muito legal. Meu nome é Lusk. mas pode me chamar de...
*faz umas pose mt aleatória
LUSK!
H: .-. ok confesso que estou indeciso sobre qual dos dois te chamar
L: HÁ AGORA QUE NAO TEM DUVIDAS SOBRE QUEM EU SOU.... quem é você
H: meu nome é henry, eu caí porque eu tropecei e eu venho de uma família de cabras
L: hmmmmm. *coloca a mão no queixo em posição de análise
olha eu não sou nenhum profissional em biologia mas... suas orelhas e cauda não condizem com as de uma cabra...
H: valeu aí médico do SUS
L: nada
mas aí não seja por isso, venha conhecer a vila a menos que queira ficar andando na cachoeira até a conta de agua da terra chegar
---um tempo depois---
**os 2 andando na vila
L: então quer dizer que você é uma raposa?
H: uhum
L: e você caiu do ceu?
H: uhum
L: e você...
H: sim.
L: ok. tendo em vista tudo isso eu vou me apresentar
EU SOU LUSK O GRANDE
**passa uma bola de feno
H: ah sim....
L: MAS EU NÃO TE MOSTREI A MELHOR PARTE
*junta as mãos e levanta uma grande ventania pra cima do henry
H: *coloca a mão na cara
é assim que vocês cumprimentam as pessoas por aqui?
L: na maioria das vezes
H: entendi
**corta pros 2 andando pela vila
L: olha só eu tenho que dizer pra você tomar cuidado quando anda comigo, muitas pessoas me conhecem e eu sou muito famoso ok? **os 2 tão passando numa vendinha
L: OLA MEUS FÃS
Mta gnt: FÃ O CACETE! OU SAI DAI! PARA DE GRITAR EU QUERO DORMIR!
H: realmente eles te amam
L: viu? *cai um tomate na cabeça do henry
Pessoa que jogou: *fecha a janela
L: EI NÃO ENCHE OU EU ARRANCO A SUA CARA FORA!
caham, onde a gente tava? falando nisso? Tu é uma raposa?
H: uuuh, sim?
L: ah legal, é que eu nunca vi raposas por aqui
H: e você já viu raposas?
L: quando eu morava no reino e não aqui na vila
H: hmmm, e como é lá
L: olha, cara, confia em mim, é melhor a gnt não conversar sobre aqui.
H: ?
L: depois te conto. ENFIM, não é todo dia que se cai de uma cachoeira, conta mais sobre a sua cara H: ele parece nunca ter visto um ser humano antes Hmmmmmmm... eu... eu tava conversando com o Doke
L: e quem é o brother
H: ele é tipo meu pai só que não é meu pai saca
L: Não.
mas enfim pelo visto você me entende bem
mas e agora, o que pretende fazer agora que caiu aqui em baixo?
H: ... eu acabei de acordar então eu tô com fome
L: COMO ASSIM VOCE ACORDA 17H MANÉ
H: ue *vira a cabeça e olha pro lusk
L: VOCE DORME MAIS QUE UM HOMEM ANIMADOR DE FÉRIAS
CACETES
mas confesso que não comi nada até agora também...
*bota a mão no bolso e puxa umas moedas
mas eu acho que dá pra comprsr um ramen pra você
H: seriao? não precisa cara
L: mas eu quero.
H: ah então eu não posso fazer nada
então onde q a gnr compra
L: na loja do seu Imura claro
H: Imura?
L: ele é um cara elegante, relaxe
H: :0
**um tempo depois
L: *abre a porta do lugar
(o cenário é um lugar pequeninho onde tem um teto transparente com folhas por cima [o tamanho é tipo do ichiraku mas maior])
*da um socão na mesa
AE TIO O QUE TEMOS PRA HOJE
**vem do além um hashi voador
L: *segura ele com os dedos
??: *poe uma tigela na mesa
E O QHE TEMOS PRA HOJE
L: TIO IMURAAAAAA
Im: Olá.
o que comerás hoje caro MENINO!
L: uuuh o de sempre mas não vou ser eu quem vou comer
eu trouxe um cara
H: oi
Im: ... MENINO! OLA PRAZER
*aperta a mão do Henry
H: uuuh
Im: SEJA MUITO BEM VINDO AO IMURA CAFÉ ONDE VOXE PODE COMPRAR QUALQUER COISQ QUE QUEIRA COMER
L: até pedra
Im: XIM MENINO!
*olha direito pro henry
...
Uma rapoja por aqui... estranho... onde é que o luxk axou exe menino...?
TOME
*coloca ramen na mesa e da os hashis pro Henry
H: valeu, velhote
Im: Ei Luxk precisamos convexar
L: *desce da cadeira e vai pra trás do balcão
*vai lá pra trás
H: *consegue ouvir um pouco abafado
Im: voxe nao xoube que o guarda real malhuco vira hoje?
L: guarda?
Im: nós xomos rivais então elex prometeram mandar uma menxagem hoje..
E XE VIREM UMA RAPOJA O QUE FARAO?
L: tem razão velhote
H: ...
*mini flashback
Do: Henry o reino ele pode ser muito perigoso para raposas nós não podemos nos arriscar assim...
...
L: voltei Henry
H: terminei de comer, muito obrigado cara
L: *barriga ronca
*da o dinheiro pro cara
Im: ... o que voxe vai querer?
L: mas eu não tenho mais dinheiro
Im: o do MENINO é de graxa voxe é o único que paga aqui
L: OOOOOOOO
**um tempo depois um pouco de noite
L: estou cheio cara
H: to vendo
L: mas nós temos que conversar mano
H: hm?
L: acontece que um cara sinistro vai aparecer aí daqui a pouco então nós temos que...
*lembra doq o Imura disse
Im: eu irei abrigar vocês. então venham para cá amanha
L: nos refugiaremos na casa do Imura
H: tranquilo então
L: espero sair vivo dessa...
H: mas aí você não me mostrou sua casa você tem casa não é?
L: Nao, EU sou um mendigo.
H: que bosta hein
L: É OBVIO Q EU TENHO CASA MANE
H: la você me explica direito tudo
**chegando na casa do lusk
[é uma quitinete meio desarrumada com um banheiro e um sofá e uma mesa]
L: *mexe debaixo do sofá e pega um mapa enrolado
*vai em direção a mesa e estende ele lá
aqui é o reino de Valdehalle
*aponta um pouco do lado
aqui é Heartville, onde a gente tá
H: e essa neblina aqui?
L: sei lá eles chamam isso aí de reino da neblina oculta
dizem que são uns caras que vão contra o reino
H: ...
L: vai entender né
H: *levanta
a gente tem que acordar cedo amanhã pra poder ir pra casa do Imura se der tudo certo a gente sai dessa tranquilo
L: o que vc planeja fazer você só caiu aqui você não consegue voltar?
H: eu caí aqui em busca de informações sobre mim mesmo
e pra descobrir coisas que meu pai não pôde me contar
L: ...
H: vai que a gente muda algo né?
L: *da um leve sorrindo
olha, amanhã eu irei te acordar SE VOCÊ NAO ACORDAR EU TE CHUTAREI
H: tá bom pedro cara feia
**no dia seguinte
.. L: ACORDA MARILENE QUEM GANHA DINHEIRO NA CAMA É
H: ja acordei... o que você ia falar
L: hm? testador de colchão claro todo mundo sabe que quem ganha dinheiro na cama é testador de colchão
H: ah sim...
L: *pega o mapa
VENHA
**os 2 saem na direção do Imura Café
L: *ve os moradores com armas andando por aí
..... hoje não é um dia bom
H: ....
**vão andando na espreita
H: pq a gnt tá se escondendo
L: pq se nos virem vão mandar a gente ficar com alguém que a gente nao quer então trate de se esconder
H: *entram num beco
??¹: *vê cauda do Henry
*vai em direção ao beco e olha
hmph, deve ter sido impressão
H e L: *chegam no Imura Café
H: *bate na porta
Im: MENINOS! Ah que bom que extao aqui
entreis
**os 2 entram
**ouvem algo explodindo
Im: elex ja devem ter chegado
oh não
H: isso é um problema
L: ugh
H e L: *se escondem na cozinha
??²(um guarda aleatório do reino): PROCUREM EM TODAS AS CASAS eles devem estar por aqui
eles não pagaram o que deviam
e tem uma raposa aqui você diz?
??³: é-é sim senhor!
....
??²: hmph...
PROCUREM EM TODAS AS CASAS!
H: °°
??⁴: *bate na porta da casa do Imura
TRM ALGUÉM AÍ
SE TIVE DIGA AGORA!
Im: .... isso é um problema
??⁴: ABRA EU SEI QUE TEM ALGUÉM AÍ
*bate mais forte
Im: me dexculpe meninos já volto
uuh sim?
??⁴: TENS UMA RAPOSA AI QUE EU SEI
Im: nao tem nada aqui
??⁴: EU ESTOU SENTINDO MANA E NÃO É A SUA
Im: uuh relaxa, não faz sentido querer procurar num restaurante
EU SO ESTAVA AQUI QUANDO COMECOU ESSA INVASÃO
H: voce notou isso?
L: o que
H: o Imura nao tá falando errado...
L: isso é alarmante...
??⁴: *quebra a porta do restaurante
me mostre.
Im: me desculpem
*junta as mãos
*levanta umas pedras do chão
??⁴: *defende com as mãos
... me deixe passar
*explode tudo
H e L: °°
*se escondem um em cada armário do restaurante
??⁴: não devem estar aqui
DEVEM ESTAR AQUI PERTO PROCUREM!
L: vem, Henry temos QUE-
*congela na saída
....
H: o que fo-
L: i-i
**veem Imura no chão e tudo destruído
L: ........
H: ah não...
....
continua no próximo episódio :D ep 2 Rivais de Reinos diferentes, o mais forte prevalece...
submitted by henrylore to Najiyu [link] [comments]


2020.09.10 02:56 Frank_Poole2001 Parcialmente um desabafo e parcialmente uma pergunta que eu tenho um pouco de vergonha de fazer para alguém na vida real.

Alguém por acaso realmente usa Instagram pra conhecer gente? Tipo, imagina que um cara qualquer acha uma menina bonita e chama na DM. Cara, como? O que? Sério? Só isso? E isso não é estranho como? Se às vezes eu sequer me pergunto se Tinder dá resultado (ia usar em 2020 depois de ter arrumado mais autoestima e botado minha vida no lugar), como as pessoas chegam nas outras pelo Instagram? Tipo, eu imagino que no contexto do Tinder a pessoa está lá para ser chamada, saca. No Instagram vc só tá lá vivendo sua vida e sei lá. Acho que vocês estão entendendo a vibe do que estou tentando falar. Por favor não me chame de boomer, sou novo demais pra isso. Eu só queria sair do meu casulo.
Como caralhos se usa a internet para conhecer gente na vida real?
submitted by Frank_Poole2001 to desabafos [link] [comments]


2020.09.09 04:41 kriskastro Cada vez mais quebrado e tentando juntar os cacos

Gente, já li de tudo por aqui e adoro os temas sobre relacionamento. Dessa vez chegou a minha vez de desabafar. : PS: Sorry pelo textão, mas é que eu preciso externar um pouco de tudo pra ver se me serve de alguma coisa.
Já não sou mais um adolescente, mas também não chego a ser já um adulto de meia idade; mas tá perto rs. Tenho 27 anos, já beirando os 28. Nunca engatei definitivamente em um relacionamento sério e nem sei se sou preparado para isso efetivamente, serio mesmo. Minha família é meio fudi* sobre relacionamentos. Pais separados, confusões aqui e ali e até pelo que pude perceber sobre os que estão além dos meus pais, digo tios e tias, a situação não é muito animadora ou exemplar. Enfim, sinto até que de alguma forma por não ter bons exemplos ou referências em casa isso de alguma forma pode ter me afetado, me travado, ou até mesmo me ter deixado com um certo nível de ansiedade/panico. Sei lá. Moro com a minha mãe ainda e meu irmão mais novo.
Sou uma pessoa que simplesmente não sai e resolveu viver isolado na sua própria bolha; diria até que com poucos amigos próximos, digamos assim... (sabe daqueles que você pode literalmente contar com eles para o que der e vier? Pois é.). Já sou formado, pago as próprias contas, ajudo até de certa forma a segurar ainda a estrutura financeira abalada em casa. SIM, meu pai era o provedor do dinheiro como toda "família tradicional" brasileira; mas hoje me dia minha mãe já tem a fonte de renda dela que se complementa com a minha. E meu pai acho que ainda ajuda só por conta do meu irmão mais novo mesmo.
Enfim, sinto que o tempo vai passando e passando e a maneira como eu vivo hoje me incomoda. Não quero ter esse papel de "pai provedor" da família que eu ainda não tive, se é que me entendem. Sinto que preciso mudar e sair dessa zona de (des)conforto, mas ao mesmo tempo vivo um dilema entre a responsabilidade para com aqueles que estão comigo e a vontade de construir algo meu, a minha própria história. Agora assim, sair de casa pra (sobre)viver e ficar a ver navios é foda, até pq a vida sozinho é bad trip total. Nessa parte, já quero introduzir o tema o relacionamento que até então são inexistentes; penso que de alguma forma quando você tem alguém que vale a pena você lutar para que as coisas deem certo, e obviamente a pessoa também queira, de alguma forma os dois conseguem encontrar alguma felicidade em meio a tudo, mesmo diante das dificuldades.
Mas vamos lá que já estou é divagando aqui. Sobre relacionamentos: sou uma pessoa extramente fechada. Não saio. Como disse, sou de poucos ou quase nenhum amigo próximo. Não considero conhecidos ou colegas de trabalho como alguém que se pode contar muito, sabe. Obviamente pra não pirar da batatinha, pelo menos cresci aderindo ao hobby de jogar video games pra aliviar um pouco o estresse e até a deprê - na verdade herdei esse hobby da adolescência e acho que os sentimentos meio depressivos também. Tenho ps4 que mal jogo hoje em dia, mas ainda me divirto um pouco no pc com uma galera muito massa no lol kk. SIM. 27 anos jogando ainda League of Legends. Mas voltando... pra piorar um pouco, tenho de certa forma uma atração, ou sei lá um imã, pra garotas que são bem peculiares, digamos assim.
O meu primeiro contato na adolescência que talvez pudesse ter rendido um relacionamento foi com uma garota que conheci no Tinder. Eu deveria ter uns 17 anos mais ou menos. Nem tinha entrado na faculdade. Ela era gata e inteligentíssima, mas não me recordo o nome dela. Sente o drama: depois de semanas conversando e praticamente se descobrindo quase que nascidos um pro outro, ela me revelou que fazia tratamento para câncer e já faziam anos e mais anos na luta. As fotos dela eram de peruca, sabe. Tanto que depois de semanas ela começou a me mostrar as fotos já carequinha. Ela morava no interior e vinha de tempos em tempos aqui pra cidade fazer o tratamento dela. O namorado dela a deixou depois dessa bad trip. Enfim, um negócio pesadíssimo. Quase como A culpa é das estrelas. : O tempo passou, coisas aconteceram, a vida foi entrando numa velocidade frenética. A faculdade chegou, as provas, os semestres, os estágios, a rotina maluca e simplesmente fomos aos poucos deixando de nos falar e eu simplesmente não sei o final dessa história. Mas me arrependo quase que amargamente de não ter ido conhecer ela pessoalmente independente do desfecho.
Na faculdade, me apaixonei por uma garota. Mas nem vou me alongar muito. A thread da facul: depois de anos estudando juntos, me declarei pra essa garota e para minha surpresa uma amiga nossa em comum também fez a mesma coisa. A garota da história é bi e eu tinha total consciência sobre isso, mas só fiz o que meu coração mandou. Enfim, esse negócio não foi nem pra frente e nem pra trás. Nem eu e nem a nossa amiga em comum ficou/namorou essa garota. Mais uma vez o tempo foi passando e passando... até que terminei a faculdade e até onde tive notícias, hoje a garota que eu era apaixonado está namorando um cara aí. Enterrei esse amor e deixei o tempo cumprir o papel dele. Aconteceram outras coisas na faculdade também entre eu e uma outra miga, mas nem vou comentar pq não vem ao caso, simplesmente não era para ser e pronto e o pior é que até transa sem camisinha rolou kk #medo, mas calma que teve pilula e teste após isso. Então, nada de filhos não programados. Amém.
Após a facul e agora sim em um tempo mais recente. No trabalho, há uns dois anos atrás descobri que uma garota era perdidamente apaixonada por mim. Isso era novidade pra mim que já estava acostumado só com amor não correspondido, mas o drama aqui é que eu simplesmente não sentia a mesma coisa por ela. Olha só que ironia, não? Isso é foda, pq eu sabia como era gostar de alguém e isso não ser recíproco. Mas enfim, a garota foi demitida e com a demissão acho que foi-se qlq esperança de se construir algum amor - isso para os que acreditam que esse trem é construído tijolinho, por tijolinho. Eu só simplesmente não sei como funciona, desculpa.
Há seis meses atrás ou até mais, meu coração resolveu bater mais forte por alguém mais uma vez. Mais uma coisa que simplesmente não sei o pq diabos acontece, mas já aceitei que a vida é assim. Ela é uma colega de trabalho. O tempo passou, ficamos íntimos, conversamos muito, mas muito mesmo sobre absolutamente tudo. Literalmente tudo. A pandemia chegou e até hoje estamos de home office :p. O drama aqui é que eu resolvi me declarar para ela. Abri o jogo. Coloquei as cartas na mesa e joguei para ver o que iria dar. Como resposta tive um surpresa e um desagrado ao mesmo tempo. A surpresa foi em saber que ela se preocupa comigo tanto quanto eu me preocupo com ela, mas amigos... o sentimento que temos um do outro é bem diferente. Infelizmente! Ah e o drama aqui não vou entrar em muitos detalhes, mas a thread só não chega a ser pior do que a minha primeira história e a segunda. Talvez seja pior que a segunda. Envolve uma infância bem conturbada da parte dela, abusos do pai e até relacionamentos abusivos de ex. Mas como disse, não vou entrar em detalhes. Enfim, essa semana tive a noticia de que ela está com um cara ai e é isso, amigos. Mais uma vez quebrei-me em mais um monte de pedaços antes mesmo de saber o que é um relacionamento.
Agora assim, sabe o que é o pior de tudo? A sensação de baixa-autoestima que você acaba criando e acho que até uma certa ansiedade/nervosismo ou sei lá o que. Um sentimento quase como: qual é o meu problema? Será que eu não sou uma pessoa interessante? Estou fora do padrão do que costumam encontrar por ai? Enfim, neuroses que nem vale a pena perder tempo pra não cultivar bad trips. O tempo só vai passando e não há nada que eu possa fazer a respeito a não ser aceitar que as coisas são como são e pronto. E que simplesmente não sirvo para relacionamentos. Talvez isso me conforte de alguma forma.
submitted by kriskastro to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 07:07 Mickael_Bruno Eu só queria apagar 5 meses da minha vida.

Ano passado eu conheci a primeira garota que eu gostei de verdade, e eu tentei algo com ela, e até que consegui, mas não durou praticamente nada, de março do ano passado, até agosto do mesmo ano, foi o tempo, desde que conheci ela, até o dia que ela terminou comigo por mensagem, foi o dia que eu mais chorei na minha vida, mais do que em enterros ou qualquer outra coisa, mas até aí tudo bem, o meu "primeiro amor"(acho muito tchola falar isso mas fds) então é compreensível eu ficar mal.
O problema é que faz mais de um ano, nesse tempo eu surtei muitas vezes e perdi a conta de quantos dias eu chorei por causa dela, já me senti humilhado em algumas situações de forma que eu não desejo pra ninguém.
E oq mais me deixa puto é que foram menos de 5 meses, CINCO MESES, por causa desses 5 meses eu fiquei meses com a pior autoestima da minha vida, eu odiava ir pra escola todos os dias e ver ela, eu cheguei a pensar em reprovar de propósito só pra perder a bolsa e sair de escola, mano, eu amo aquele lugar e por causa de 5 meses, tudo que eu amava sumiu, antes de conhecer ela eu tava no melhor momento da minha vida e parecia que as coisas ia melhorar mas no final deu nisso
Hoje eu tava refletindo sobre tudo, sobre como ela ainda me afeta, mesmo depois de mais de um ano e de tudo que aconteceu, hoje minha melhor amiga, que também é amiga dela, acabou comentando sobre ela tá ficando com um mlk, ela não comentou pra ser cuzona comigo nem nada, mas isso me incomodou. E eu fiquei ainda mais incomodado por ficar incomodando.
Eu odeio não desprezar ela, eu sinto tanta raiva de não conseguir simplesmente cagar pra ela. Pqp mano, 5 meses velho, eu só queria apagar esses meses, a minha vida estaria muito melhor.
Obs: caso alguém fique curioso, tenho 17, mas quando conheci ela estava perto de fazer 16, eu sei, já não sou tão novo pra ficar uns Bang tão tchola, mas sla, é isso, se vc leu até aqui, valeu sinta-se abraçado (っ.❛ ᴗ ❛.)っ
submitted by Mickael_Bruno to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 01:53 pesligeiros um estudo sobre a solidão.

oi, pessoal. tudo bem? sou H, 19. esse é meu primeiro post no reddit, e colocar "H, 19" me faz parecer os velhos pervertidos do omegle.
é irônico o omegle ter vindo a tona no meu desabafo, uma vez que ele encaixa bem em meu raciocínio. sou sozinho. sempre tive muitos amigos - e ainda assim, sempre fui muito sozinho. muito sozinho porque eu era excluído, ou porque eu me excluía. nunca fui pleno de atenção, nunca fui pleno de companhia. eu era humilhado, maltratado, mal visto. elogiado de vez em quando, pra dar uma equilibrada. eu nunca fui o mais bonito, o mais sociável. nunca tive laços profundos. nunca tive irmãos. nunca fui muito ligado a minha família. nunca me dei bem estando comigo mesmo. vejo pessoas que tem amigos, que participam de experienciais, que trocam fofocas de tudo, que tem uma vida sociável agitada. eu não.
em 2017 arranjei uma namorada - uma pessoa que na época me ensinou e me destruiu em níveis bem proporcionais -, me afastei de todo mundo que eu tinha contato pois eu era bem tratado por ela. depois do nosso término, comigo em cacos, já não tinha mais ninguém pra contar. e mesmo que eu tenha recuperado alguns dos pequenos laços que eu tinha antigamente, nunca mais foi o mesmo.
sou íntimo de uma pessoa, no máximo duas pessoas. a verdade é essa. um amigo virtual que mora do outro lado do país e minha ex namorada, que se mostrou uma ótima amiga dado tempo necessário pra se recuperar dos cacos
a verdade é essa, embora eu sempre diga que sou próximo de pelo menos cinco pessoas. mas não, são no máximo duas. uma que mora estados de distância de mim, e uma que constantemente fico com raiva por eu ter tanta proximidade, pois justamente por não ter mais ninguém por perto, me trás a sensação de eu não ter seguido a vida e de eu ser ainda mais solitário do que sou, por mais incrível que ela seja comigo.
nunca mais me relacionei. nunca mais ninguém mostrou interesse por mim - a não ser uma menina do habbo hotel. patético, né? habbo fucking hotel.
nunca mais fiz novos amigos. nunca mais conheci mais pessoas. ninguém sabe que eu existo, e eu não consigo conhecer ninguém. nos últimos doze meses, ganhei muitos quilos, e estar isolado em casa não me ajuda nada com esse problema. eu tenho pessoas com quem contar, se eu for preciso. mas não me sinto conectadas a elas. eu me tornei um desconhecido. alguém que foi esquecido no tempo. e por mais que eu lute para ser visto pelas pessoas da minha cidade, não tenho energia, tempo ou os meios para isto. e hoje em dia, sem energia, gordo (que não é um problema pra muitas pessoas, afinal, é apenas estatura física. pra mim é um problema, pois me sinto cansado, sem energia e com problemas de autoestima gigantescos), sozinho, me sinto cada dia mais solitário.
não quero conselhos nem nada do tipo. é só um desabafo mesmo. queria que a pandemia acabasse. primeiro, pra que as pessoas parassem de morrer por conta desse vírus horrível. e depois: pra ver se eu perco peso, recupero um pouco minhas energias, decido o que vou fazer da minha vida pro futuro. tô em momentos de muitas decisões. talvez assim, em algum caminho da vida, eu encontre amigos que eu me conecte de verdade, alguém se interesse por mim.
até lá, sou apenas isso. e se assim eu continuar, vou acabar virando um velho solitário que vai pra omegle pra ter com quem conversar. não pra ser pervertido. mas pra tentar lamentar sobre como cresci sozinho e envelheci sozinho.
e aí ter a conversa pulada, porque ninguém vai querer falar com um adulto sozinho em um site de anonimato. e com muita razão, porque ninguém sabe quem é que tá do outro lado, e quais são suas malditas intenções.

obrigado a quem leu até aqui.
submitted by pesligeiros to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 01:34 Otherwise_Cat3055 As vezes não sei como prosseguir

Sou um jovem de 19 anos, com personalidade forte, tenho meu próprio estilo, as minhas próprias ideias e ensinamentos mas ainda assim aberto a novas experiências e pontos de vistas, tenho minhas preferências e uma personalidade simpática (por mais que as vezes eu seja bem timido e reservado), ou pelo menos eu era assim, minha mãe faleceu em setembro do ano passado e tive que me mudar pra casa do meu pai em SP, aqui tive experiências novas, tanto ruins quanto boas, mas logo depois dessa tragédia eu sinto que mudei, não sou mais feliz como antes mesmo achando que já segui em frente(em relação a minha mãe que era bem apegado), não consigo mais conversar com as pessoas do mesmo jeito que antes, criar novos laços ou relacionamentos, tem vez que estou conversando com alguém e simplesmente do nada perco o "tesão" de conversar e me afasto, me viciei um pouco em pornografia e acabei ficando bem mais reservado do que já era em questão de relacionamentos sociais(e virtuais), não sei mais manter um papo com uma garota como era antes, às vezes me animo pra socializar, baixar um programa de relacionamento, ou até mesmo sair de casa pra conhecer alguém, mas sei que brevemente eu vou "broxar" novamente e voltar ao que me tornei.
submitted by Otherwise_Cat3055 to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 01:27 ferrss_ Desabafo de como estou me sentindo

Olá sou novo aqui, procurei um lugar onde pudesse escrever como tenho me sentindo ultimamente.
Bom tenho 23 anos curso ciência da computação e trabalho como programador em uma empresa, até aí tudo bem, gosto da faculdade e do meu trabalho e a empresa é bem legal.
Me mudei para minha cidade atual a uns 7 anos por causa da separação dos meus pais, desde então não consegui fazer amizades verdadeiras e também não tenho namorada.
Meu contato social só acontecia no trabalho e nas aulas da faculdade e desde o início da quarentena isso parou de acontecer pois estou estudando e trabalhando de casa e isso tem me levado ao fundo do poço, venho me sentido mt solitário ultimamente, sem ngm para conversar isso vem me destruindo completamente.
Tentei usar aplicativos para conhecer pessoas, como o Tinder, mas parece que não desperto o interesse em ninguém, também sinto que não sou importante para as pessoas que conheço, ngm se preocupa se estou bem ou não a maioria só me procura para pedir favores e isso me destrói por dentro, fico pensando "nossa sou uma pessoa tão ruim que ninguém dá a menor importância?" E aí começam os pensamentos destrutivos, vivo lutando para me livrar deles, todos os dias é um sofrimento para sair da cama para começar a fazer as coisas.
Quando a rotina estava normal eu conversava com todo mundo, saia com colegas de trabalho, agr me sinto abandonado, sempre tento puxar assunto nos grupos de wpp para tentar me comunicar com alguém, chamo meus "amigos do trabalho" para jogar jogos online ou fazer call para conversamos, mas ninguém nunca está disponível ou não querem, não sei na verdade.
Me sinto muito sozinho e triste tenho lutado todos os dias para tentar me livrar dessa sensação e dos pensamentos destrutivos, para terem uma ideia eu perdi totalmente minha perspectiva de vida, para que as coisas não fazem mais sentido e que vou viver solitário o resto da vida. Queria que as pessoas realmente se importassem comigo igual eu me importo com elas.
Enfim, esse era meu desabafo, obg a quem ler :)
submitted by ferrss_ to desabafos [link] [comments]


Eu vou conhecer um novo amor em 2019 ? Onde vou conhecer meu grande amor? ❤️ VOU CONHECER ALGUÉM NOVO? OU O EX VOLTARÁ? Tarô Interativo - Vou conhecer alguém especial nos próximos 2 meses?? Vou conhecer alguém especial? POR QUE A GENTE NÃO ENCONTRA ALGUÉM? - YouTube VOU CONHECER ALGUÉM EM BREVE?  Tarot responde!

Mais de 250 perguntas para conhecer alguém

  1. Eu vou conhecer um novo amor em 2019 ?
  2. Onde vou conhecer meu grande amor? ❤️
  3. VOU CONHECER ALGUÉM NOVO? OU O EX VOLTARÁ?
  4. Tarô Interativo - Vou conhecer alguém especial nos próximos 2 meses??
  5. Vou conhecer alguém especial?
  6. POR QUE A GENTE NÃO ENCONTRA ALGUÉM? - YouTube
  7. VOU CONHECER ALGUÉM EM BREVE? Tarot responde!

Namastê amores, mais um tarô interativo aqui no canal para ajudar vocês e trazer um direcionamento. Essas leituras são gerais e podem não ressoar completamente com vocês. Para um ... Foque em seu momento amoroso atual, concentre-se e escolha a mandala que lhe chamar a atenção e receba a mensagem e previsão do seu momento. Tiragem de tarô interativa. Para consultas ... Vou conhecer alguém nos próximos meses? Solteiros - Tarô Interativo - Duration: 22:43. Bruna Sobral ... Como, quando e onde vou conhecer esse novo amor? - Duration: 20:22. CONSULTAS PERSONALIZADAS ( fotos + áudios no Whatsapp ) ☎️ Whatsapp (21) 96658- 9997 ☆ TIPOS DE CONSULTAS : . 5 PERGUNTAS LIVRES $50,00 . MANDALA DO AMOR $60,00 . 10 PERGUNTAS LIVRES $70,00 ... De um lado, solteiros carentes reclamam da dificuldade de se encontrar alguém e não percebem como a gente tem andando em multidões, esbarrando todos os dias ... Onde vc irá conhecer seu NOVO AMOR? Tarot Responde - Duration: 21:53. Florescer Tarot 31,938 views. 21:53. QUANDO IREI ENCONTRAR MEU AMOR? #BARALHOCIGANO - Duration: 21:43. Me chamo Aninha da Paraíba, sou médium, vidente Consulta particular watts App 83 9 8724 3997 1 hora e meia ou 10 perguntas , não passando do tempo determinado.